Francine De L’Herbe agora dedica-se ao bordado e ao crochê

09/02/2011

Mme. De L'Herbe sempre gostou de uma vida mais relaxada.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, não pode mais contar em sua equipe com a jornalista Francine De L’Herbe, sua antiga e dileta colaboradora, que recusou-se a assumir a coordenação do Mutirão de Mucamas, alegando ter outras prioridades no momento.

O Presidente de Nascença anda acabrunhado com a estranha decisão de Mme. De L’Herbe de dedicar-se, por razões ainda ignoradas, às artes manuais.

Mme. De L'Herbe fez um belo capacete de crochê para proteger o pres. Zezinho das bolinhas de papel assassinas.

Francine De L’Herbe agora passa os dias em seu ateliê na Caverna do Ostracismo,  fazendo os mais diversos artefatos à base de fibras e outros materiais derivados do cânhamo.

Seus principais fregueses são os vizinhos na Caverna do Ostracismo. Além dos panos de prato, ela produz também toalhinhas para aparar baba, um sucesso no Retiro do Udenista, forros para as gaiolas das aves de estimação do pres. Zezinho (araponga e tucano verde) e capas de crochê para selins de bicileta para seus amigos ciclonudistas.

Nos fins de semana, Mme. De L’Herbe arruma mais algum vendendo seus artefatos em uma barraquinha na feira da Praça da República.

QUERIDINHA: Mme. De L'Herbe agora é a musa da Praça da República.

Segundo fontes lapeanas que não quiseram se identificar, o sr. Geraldinho do Vale teria arrumado a vaga na feira para Mme. De L’Herbe, o que justificaria as reuniões frequentes que têm feito e o interesse do Barão de Pindamonhangaba nas artes manuais praticadas pela  ex-jovem.

Essa aproximação estaria causando desconforto no Maior dos Filhos da Mooca. Comenta-se na Caverna do Ostracismo que o Presidente de Nascença ficou enciumado por essa proximidade entre seu muy amigo Geraldinho do Vale e sua musa da internet ética.

Mme. Francine De L'Herbe fez um belo tapete de cânhamo para o pres. Zezinho, mas ele ainda prefere o Reinaldinho Cabeção.

Mme. De L’Herbe, no entanto, nega que tenha deixado de lado a profunda amizade com o Almirante do Tietê. Ela comentou com amigos da ala descolada da UDN que continua gostando muito dele, mas tem que levar sua vida adiante: “Larguei tudo por causa do Zezinho. Ele me prometeu mundos e fundos no ano passado, e tudo que eu ganhei foi aparecer em um vídeo sem maquiagem e com cara de menina emburrada na internet. O Geraldinho do Vale é meio careta, mas pelo menos me deu uma oportunidade de reconstruir minha vida.”

Corre nos meios udenistas a informação de que Francine De L’Herbe convidou o pres. Zezinho a juntar-se a ela nessa nova fase, dizendo que agora vive sempre relaxada, e que ele deveria fazer o mesmo, para baixar o stress. Entretanto, o Maior dos Brasileiros teria respondido que tem muitas contas a acertar e não tem tempo para essas coisas de bicho-grilo.

Faz tempo que o Barão de Pindamonhangaba anda de olho no blog dela.

Apesar desta sua nova fase, a petista arrependida continua com a atividade que lhe deu mais notoriedade no meio político nacional.  À noite, depois de um último trabalho com materiais à base de cânhamo, ela segue com sua atuação no ramo de produtos químicos perigosos, destilando veneno em seu blog moderninho a serviço do pres. Zezinho.

No entanto, consta que o sr. Geraldinho do Vale anda de olho no blog dela.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: Mme. De L'Herbe está bordando os vestidos para a próxima festa junina da UDN.

O Zezinho sempre gostou de artesanato. Naquele tempo, brinquedo era muito caro, não é como hoje que as crianças ganham um monte de brinquedos toda semana. As crianças faziam elas mesmas seu brinquedos, na maior parte das vezes. O Zezinho não era diferente: ele gostava de organizar um dia para os moleques da turma dele fazerem uns brinquedos. Na hora, começava todo mundo a fazer os brinquedos: carrinhos de lata e de carretel, pipas, espingardas de madeira, essas coisas.  Só que o Zezinho não fazia nada, só ficava dando ordens. Uma vez, ele fez isso e, no final, quis pegar pra ele um tratorzinho de lata que um moleque tinha feito. O moleque ficou furioso, disse não e quis bater no Zezinho. Deu a maior confusão e foi todo mundo embora, só ficaram o Zezinho e o Reinaldinho Cabeção, que disse pro Zezinho: “Se você quiser, eu faço um trator igualzinho ao dele pra você”.  O Zezinho pegou o trator que o Reinaldinho Cabeção tinha feito e disse: “Vou ficar com este, mesmo. É uma porcaria, mas você não vai conseguir fazer melhor”. O Reinaldinho Cabeção ficou todo feliz porque o  Zezinho quis o tratorzinho dele.


Carnaval da UDN: deputado-mirim é novo líder da ala das baianas

05/02/2011

O pres. Zezinho gostou da nova fantasia do deputado-mirim.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, segue sendo bem sucedido em seu generoso trabalho de pacificação e fortalecimento da UDN em todo o Brasil.

Nesta semana, o Presidente de Nascença obteve uma nova vitória. Mais um importante cargo de direção da UDN foi preenchido em clima de harmonia, paz e congraçamento.

Desta vez, tratou-se da escolha do novo líder da ala infantil das baianas da Escola de Samba Unidos da UDN, importante agremiação político-carnavalesca de Higienópolis.

Tancredo Neves (direita) está fazendo tudo para levar o efebo para conhecer sua pirâmide administrativa em BH.

O escolhido foi o deputado-mirim TPM Nato, ainda jovem, porém um quadro importante no udenismo soteropolitano. O portátil udenista fez carreira no circuito Barra-Ondina, e agora pretende continuar a fazer carreira na Unidos da UDN.

Essa preocupação com uma boa carreira o aproximou do faraó minésio, sr. Tancredo Neves, que compartilha com TPM Nato os mesmos ideais de carreira.

Reações

Quem não gostou muito da escolha do efebo-udenista foi o pitta de estimação do Almirante do Tietê, que queria que um amigo seu fosse o novo líder da ala infantil das baianas.

A velha guarda da UDN também abençoou a candidatura do precoce líder das baianas impúberes.

Preocupado com seu pitta de estimação, que tem ameaçado fugir de casa, o pres. Zezinho chegou a pensar em usar a confiança e respeito que desfruta entre seus colegas udenistas para intervir na eleição. Mas, em nome da unidade da UDN, preferiu abençoar o escolhido e comprar uma coleira mais forte para seu pet.

Segundo fontes próximas, o Maior dos Filhos da Mooca teria declarado, durante partida de bocha no Retiro do Udenista (sito à Caverna do Ostracismo, fundos),  que apoiou o deputadinho  em nome da unidade da UDN, mas que pessoalmente estava triste.

Na verdade, o pres. Zezinho estaria meio enciumado, pois teria comentado: “no ano passado, esse moleque passou o carnaval comigo, em Salvador; agora, já está fazendo a maior folia com o Tancredo…”

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: A ala infantil da UDN comemorou a eleição do minideputado com uma festa junina em um buffet infantil da V. Madalena.

O Zezinho sempre gostou de baiana. Quando era criança, uma vez ele viu um livro sobre tipos folclóricos brasileiros e gostou das baianas quituteiras. Aí ele teve uma idéia. Pediu para a mãe dele fazer um bolo. E convenceu o Reinaldinho Cabeção a ficar na rua vendendo os pedaços do bolo, dizendo que eram quitutes baianos. Arrumou uma tábua de tabuleiro e mandou o Reinaldinho Cabeção se enrolar em uns lençóis e panos brancos, como se fosse uma baiana. Não chegou a vender nada, porque uns moleques passaram na rua e viram o Reinaldinho Cabeção de baiana e começaram a gozar da cara dele. O Reinaldinho Cabeção falou para os moleques:  “mas foi o Zezinho quem mandou…”, e aí eles riram mais ainda, e tomaram o bolo do Reinaldinho Cabeção, que voltou chorando pra casa enquanto o Zezinho ficou de longe gargalhando. No dia seguinte, o Reinaldinho Cabeção foi procurar o Zezinho e disse: “Zezinho, quer que eu me vista de baiana novamente e a gente tenta vender outro bolo?”


Pres. Zezinho pacifica a UDN

28/01/2011

Cultura da paz: O Dalai Lama riu muito com as piadas do pres. Zezinho.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, é um amante da paz, da harmonia e da concórdia. Sempre pregando a paz, construiu uma carreira política sólida que o credenciou como a maior liderança política da UDN e da Nação Brasileira.

Amante da paz, o Presidente de Nascença vinha manifestando a assessores mais próximos sua preocupação com as belicosas manifestações de alguns setores da UDN. Esses setores vinham se articulando para uma estratégia de guerra fratricida.

Manso como uma pomba, e firme como um leão, o Gandhi do Alto de Pinheiros resolveu agir e articulou, com apoio de seus companheiros da Caverna do Ostracismo, fundos, um movimento pela unidade da UDN que acabou com a cizânia.

Apesar de ser um pacifista, o Cachorro-Lagosta se diz pronto para a guerra, se precisar.

Apesar de sua liderança inconteste possibilitar-lhe ser escolhido por aclamação para todos os principais cargos de direção da UDN simultaneamente, a modéstia e o espírito pacificador do pres. Zezinho falaram mais alto.

Avesso a cargos e ao poder, o Almirante do Tietê anunciou que não pretende ocupar nenhum cargo, esvaziando a articulação da minoria da UDN que desejava declarar guerra à sua brilhante liderança.

Mostrando desprendimento que só os grandes homens possuem, o Maior dos Brasileiros designou para presidir a UDN o sr. Cachorro-Lagosta, experiente quadro udenocanino caracterizado pela mansidão, lealdade e simpatia.

A insistência da minoria sem representatividade em levar a guerra às últimas consequências despertou no Maior dos Filhos da Mooca uma ira santa. A ávida sanha dos seus opositores pelo poder chegou até o Instituto Menestrel das Alagoas e Alagados, importante think tanque udenista. Dada a inegável superioridade de seu Majestoso Encéfalo, o Presidente de Nascença seria a pessoa mais indicada para dirigir este centro de estudos que é o  pólo irradiador de sabedoria aquática.

O pres. Zezinho gosta de coração de estudante desde criança.

Mas, novamente, o Almirante do Tietê abdicou da honraria e  indicou o sr. Milton Nascimento para a presidência, agradando, assim, a sessão mineira da UDN. O instituto passará a funcionar em sua nova sede, na Av. Marginal Serra, em São Paulo. A medida também resolveu o velho complexo de inferioridade mineiro, pois  Tancredo Neves teria afirmado, ao olhar para fora da janela do edifício: “não é igual a Copacabana, mas já é um quase um mar”.

A operação de pacificação completou-se com a definição da liderança da UDN na Câmara dos Deputados.  Com o auxílio de seus muy amigos Tancredo Neves e Geraldinho do Vale, o Pacificador da  Nação articulou um manifesto subscrito pela quase totalidade da bancada, defendendo a candidatura do sr. D. Nojeirinha Junior, de tradicional famiglia udenoruralista da Califórnia.

Mão grande e benta: os novos dirigentes da UDN foram abençoados pelo pres. Zezinho (direita).

Apenas o sr. Aluísio Biggs de Oliveira opôs-se à iniciativa, defendendo que o próprio pres. Zezinho deveria ocupar a liderança na Câmara, mesmo não sendo deputado, mas o sr. Paulo Caixa Preta 2 (assessor para assuntos propinoviários do pres. Zezinho) deu-lhe 300 mil razões para mudar de idéia.

Com esses movimento hábeis, o Maior dos Brasileiros conseguiu seu objetivo: manteve a UDN uma agremiação pacífica e harmoniosa, com a imensa maioria de seus membros devotando-se a mais profunda admiração e respeito. Demonstrou que não precisa de cargos, pois seus indicados assumiram as principais funções na UDN, mas continuará sendo ele o Iluminado Guia que conduzirá a UDN até onde a maioria dos brasileiros deseja vê-la.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: UDN comemorou com uma bela festa junina em volta da fogueira das vaidades.

O Zezinho sempre gostou de brincar de guerra. Ele e os moleques pegavam uns cabos de vassoura e diziam que eram fuzis, e usavam as panelas das mães como capacete. O Zezinho sempre queria ser da turma dos americanos, e no meio da brincadeira, em vez de fingir que atirava com o cabo de vassoura, saía correndo atrás dos moleques batendo com o cabo de vassoura na cabeça deles e gritando “guerra é guerra,  quem não é meu amigo se ferra!” O Reinaldinho Cabeção ia atrás, tentando fazer o mesmo, mas sempre algum moleque pegava ele e dava uma surra. Ele apanhava por ele e pelo Zezinho…


MG em festa: Pres. Zezinho vai restaurar pirâmide de Tancredo

19/01/2011

Geologia difícil: A pirâmide de Tancredo corre o risco de afundar em uma mistura heterogênea de argila e água.

Entre os múltiplos campos do conhecimento dominados pelo  Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, está a Engenharia.

Como é sabido, o Presidente de Nascença fez profundos estudos politécnicos mas não chegou a comparecer à cerimônia de formatura porque foi para o Chile, onde já o esperavam para fazer o mestrado em Enolatria na Universidade Concha y Toro.

Por conta de sua generosidade e competência incomparáveis, ofereceu-se a ajudar  seu mui amigo Tancredo Neves (UDN-MG) na restauração da sua nova pirâmide administrativa, construída em Belo Horizonte.

A pirâmide de Tancredo, destinada a funcionar como templo, mausoléu e casa de espetáculos, enfrenta problemas sérios que exigem a ação dos mais capazes dentre os engenheiros.

Tancredo resolveu aceitar a oferta do pres. Zezinho depois de receber uma preocupante mensagem em seu telefone celular,  durante seu passeio matinal na praia de Copacabana. A mensagem trazia fotos dos vários problemas surgidos  em sua grande obra.

Engenheiro do Século

Para a empreitada, o Gênio da Construção Nacional já convocou seu inesquecível amigo e assessor para assuntos propinoviários e concussoconstrutivos, sr. Paulo Caixa Preta 2.

O pres. Zezinho vai usar toda a sua experiência em obras de contenção de enchentes na reforma da pirâmide administrativa de Tancredo.

Além de conhecido admirador de jóias, o  sr. Paulo gerenciou uma das obras que demonstraram a capacidade técnica inigualável do Mais Completo Gestor Público: os viadutos cadentes do Robanel.

Este grande feito da engenharia nacional garantiu ao  Mais Competente dos Engenheiros o Prêmio Engenheiro do Século da Associação dos Engenheiros da UDN. O segundo e o terceiro  lugares também  foram ofertados ao pres. Zezinho, pelas maravilhosas obras da Av. Marginal Serra e as obras contra enchentes em S. Paulo. O pres. Zezinho ainda recebeu a menção honrosa, pelas obras de reforma da Caverna do Ostracismo, onde reside atualmente com o ex-sabichão FHC.

Agradecimento

O sr. Tancredo Neves ficou muito grato ao Engenheiro do Século por ter se disposto a recuperar sua pirâmide administrativa. Apesar de ter estado lá poucas vezes, o faraó mineiro disse gostar muito da construção e não queria vê-la afundar no terreno barrento e úmido sobre a qual foi construída, o que atrapalharia sua mumificação futura.

As rachaduras da pirâmide administrativa de Tancredo não afetam o clima de concórdia entre as seções paulista e mineira da UDN.

O pres. Zezinho disse para o sr. Tancredo não se preocupar, pois poucos engenheiros entendem do assunto como ele. Lembrou que, durante sua estada à frente do governo da Locomotiva da Nação, passou três anos fazendo grandes obras em lamaçais e nunca teve nenhum problema nem recebeu nenhuma crítica.

Fontes da UDN, no entanto, acham que há algo estranho nessa história. O pres. Zezinho teria comentado com assessores “porque ele tem uma pirâmide e eu não tenho?” antes de oferecer ajuda.

Por sua vez, o líder das alterosas teria ficado ressabiado com a ajuda oferecida e comentado discretamente com tia Nastácia: “O Zezinho nunca fez um favor na vida. A gente de Minas não aceita que lhes digam o que fazer, mande o Amaury vigiar esse Zezinho”.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: Tia Nastácia vai comandar a festa junina da UDN das Alterosas na pirâmide de Tancredo.

O Zezinho sempre gostou de brincar na lama. Quando ele era moleque, lá na Mooca, sempre que chovia ele chamava o Reinaldinho Cabeção e outros moleques para brincarem em um terreno baldio lá perto da Rua Borges de Figueiredo, onde hoje tem uns prédios. O terreno tinha muito barro. Com a chuva, aquilo ficava uma lameira só. A brincadeira que o Zezinho mais gostava de fazer era de apostar quem se sujava menos. Cada moleque colocava uma moeda em uma latinha e eles iam para a parte mais lamacenta. Quando o Zezinho contava até três, os moleques tinham que sair correndo pelo lamaçal e chegar do outro lado. O  Zezinho gritava “Três!” mas não saía correndo. Enquanto os moleques se enlameavam todos, ele pegava a latinha com o dinheiro e fugia. Ele ficava com o dinheiro e os moleques que acreditavam nele saíam todos sujos da brincadeira…


Lançado selo em homenagem ao Pres. Zezinho

09/01/2011

Apesar do valor de face ser US$ 0,44, colecionadores estão pagando US$ 100 mil pela peça.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, recebeu mais uma enternecedora homenagem de seus admiradores.

Desta vez, foram os amigos do Grande Irmão do Norte que fizeram um belo tributo ao Presidente de Nascença.

O pres. Obama determinou ao Serviço Postal dos EUA a confecção de um lindo selo de US$ 0,44 em homenagem ao Maior dos Filhos da Mooca, dentro da série postal “Friends of America”.

Além dos méritos próprios do pres. Zezinho, a decisão também se baseou na  sempre generosa solidariedade panamericana.

Somente grandes personagens têm a honra de ser tema de selo nos EUA.

Segundo fontes da CIA (CARACU Inteligency Agency), Obama teria ficado preocupado porque o pres. Zezinho estaria dando mostras de contrariedade com o lançamento do selo homenageando o usurpador do planalto.

Repercussão

A acolhida da novidade filatélica foi a melhor possível, nos dois lados do hemisfério.

Na Disneylândia, o novo selo é um grande sucesso. Legiões de turistas brasileiros fazem fila na agência de correio do parque de diversões para mandar postcards para seus amigos e familiares com a imagem do Grande Patriota.

Outros países também lançaram selos homenageando o pres. Zezinho.

A idéia teve grande aprovação na pátria adotiva do Novo Lincoln. Líderes de importantes entidades filantrópicas do país, como a Independent Petroleum Association of America (IPAA) e a National Rifle Association aplaudiram a iniciativa.

No Brasil, o novo selo estadunidense tornou-se um ícone da resistência contra a indevida homenagem dos Correios ao usurpador do planalto. Revoltadas por terem que usar um selo com a figura tão disgusting, os brasileiros importam os selos do pres. Zezinho para colá-los nas cartas, manisfestando sua revolta contra mais essa inaceitável apropriação do Estado pelo polvo petista.

O sr. Reinaldinho Cabeção tem prática em lamber o selo do pres. Zezinho.

O novo selo tem gerado uma mudança nas práticas postais. Tradicionalmente, as pessoas lambem os selos para colá-los nas cartas.

No caso do selo do pres. Zezinho, além de lambê-lo, os empolgados admiradores têm beijado a expressiva fotografia do Almirante do Tietê que embeleza a inesquecível relíquia filatélica.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: UDN fez uma bela festa junina para comemorar o sucesso postal do pres. Zezinho na Disneylândia.

O Zezinho sempre gostou de selos. Quando era criança, ele chegou a fazer coleção. Ele convenceu a molecada a fazer coleção também. Quando todos estavam colecionando, ele resolveu lançar um selo com a cara dele. Pegou uns retratos três por quatro, colou em uma cartolina e escreveu “BRASIL – Correios – Cr$ 1,00”, como se fosse um selo. Aí ele marcou uma reunião na casa dele, com os moleques que ele convenceu a colecionar selos. Na reunião, ele mostrou os selos com a cara dele e disse para os meninos que um dia ainda valeriam uma fortuna. E ofereceu para os meninos trocar um selo daqueles pela coleção inteira de cada um. Os moleques ficaram muito bravos e foram embora. Só o Reinaldinho Cabeção aceitou fazer a troca…


Feliz ano novo: 2011 é o ano do pres. Zezinho!

01/01/2011

Os planos do pres. Zezinho para o ano novo vão salvar o Brasil

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, entrou em 2011 com o pé direito.

Amado pelo povo e idolatrado pelos melhores jornalistas de programa do Brasil, o Presidente de Nascença começa neste ano sua fulgurante trajetória rumo ao lugar que desde sempre é seu, a presidência da república.

Neste ano novo e abençoado por Deus e pelo pastor Malacheia, o Maior dos Ministros do Planejamento do Brasil terá uma intensa programação a cumprir, dando conta de um sofisticado plano estratégico por ele elaborado para dar conta do seu destino manifesto.

O mês de janeiro será dedicado a mostrar ao Brasil as péssimas mãos em que o país foi colocado.

Sua primeira atividade programada é uma entrevista exclusiva para as páginas amarelas e azuis da Revista Mais Vendida do Brasil, ainda no dia primeiro de janeiro.

Nesta entrevista arrasadora, o Maior dos Brasileiros apresentará profundas críticas à festa de posse da usurpadora-mirim do planalto. Criticará a roupa usada por ela, o polimento imperfeito do Rolls-Royce presidencial e a falta de classe do usurpador do planalto ao passar-lhe a faixa. Citando o ex-intelectual FHC, comentará com os entrevistadores de programa a impossibilidade de compreender o discurso de posse e dirá que o discurso que havia preparado é muito melhor.

Em menos de dois meses, a usurpadora-mirim do planalto afundará S. Paulo.

Em fevereiro, o Almirante do Tietê dará entrevistas a todos os órgãos de imprensa mostrando como a inércia da usurpadora-mirim do planalto será a responsável pelas inundações na capital paulista, e apresentará seus planos de transposição do Tietê para acabar com as enchentes.

No mês de março, o Mais Animado dos Foliões mais uma vez mostrará que é bom de gingado no carnaval de várias cidades brasileiras, como já fez em 2010.

A programação ainda não foi divulgada, mas já se sabe que desfilará na escola de samba “Entreguistas da Caverna do Ostracismo”, que neste ano terá como enredo “No Reino Encantado da UDN, o Petróleo é de Obama, o Rei Nagô do Havaí“.

O pres. Zezinho espera que as homenagens a Tancredão encontrem o túmulo com mais gente.

Minas Gerais receberá atenção especial no mês de abril. O pres. Zezinho pretende coordenar as homenagens ao ex-presidente Tancredão em São João del Rei. Se for possível, também pretende fazer homenagens póstumas a outros membros da família.

No mês de maio, o Maior dos Filhos da Mooca pretende dedicar-se à eleição para a presidência da UDN, quando deverá ser eleito seu fiel mascote, o Cachorro-Lagosta.

Em junho, o Mais Cristão dos Filhos da Pátria deverá envolver-se ativamente nas festividades de Corpus Christi em todo o Brasil, fornecendo serragem para os tapetes que forrarão o percurso das procissões. Segundo fontes do Vaticano, o papa deverá aproveitar a importante festividade para proclamar a beatificação do pres. Zezinho.

Como ninguém é de ferro, o Maior dos Economistas tirará férias no mês de julho. Aproveitará o período para fazer um tour pelos EUA, rever velhos amigos e adiantar as negociações do Acordo CARACU EUA-Brasil, no qual o grande irmão do norte entrará com a primeira parte.

Importantes jornalistas já foram contatados pela assessora de imprensa Francine de L'Herbe, para entrevistar o pres. Zezinho.

De volta ao Brasil em agosto, o Presidente de Nascença fará um giro pelas redações das principais jornais da UDN, quando dará uma série de entrevistas mostrando como o primeiro semestre da usurpadora-mirim do planalto terá sido um desastre completo, e iniciará a campanha pela sua imediata deposição.

No dia sete de setembro, o Líder Máximo da Nacionalidade deverá ter um papel especial em mais uma crise a enfraquecer o governo dilmotemerpetista.  Sob sua inspiração e liderança do seu assessor para assuntos de defesa, sr. Tom Jobim, os militares recusarão desfilar para a usurpadora-mirim do planalto. Preferirão participar das festividades da Semana da Pátria Paulista, que serão patrocinadas pela empresa petroleira Chevron e presididas pelo Almirante do Tietê e seu mui amigo Geraldinho do Vale.

Inspirado pelo pres. Zezinho (direita), Tom Jobim já está ensaiando a banda marcial para 7 de Setembro.

Para o mês de outubro, a liderança serena e agregadora do pres. Zezinho mobilizará as massas e os principais expoentes da política nacional no debate sobre o orçamento de 2012 e o Plano Plurianual (PPA) 2012-2015.  Aa agenda do Gênio da Gestão Pública estará tomada com articulações para inviabilizar as barbaridades pretendidas pela usurpadora-mirim do planalto para os próximos anos.

Nas areias de Trancoso, o pres. Zezinho meditará sobre seu futuro governo.

Novembro será um mês de vitória para o Mais Competente dos Gestores. Após haver vencido no Congresso e impedido que as temerárias propostas do PPA da bruxa escarlate fossem aprovadas, o pres. Zezinho poderá dedicar-se a liderar as novas campanhas da imprensa contra os ministros e auxiliares da ilegítima presidenta.

Quando o Natal chegar, em dezembro, o Incomparável Comandante da Nacionalidade já terá mostrado a todo o Brasil que é o homem talhado em mármore para dirigir o país. A deposição da usurpadora-mirim do planalto, a essa altura, será questão de dias. O pres. Zezinho poderá passar um  Natal feliz em Trancoso, ao lado de seus amigos mais queridos.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: UDN preparou uma bela festa junina de ano novo na Caverna do Ostracismo.

O Zezinho sempre gostou de fazer planos de ano novo. Todo dia primeiro de janeiro ele escrevia uma listinha de coisas que ele queria fazer naquele ano. Ele dividia a lista em várias partes: meninos em quem queria bater, vinganças que queria fazer, artes e reinações a fazer. Tinha também uma lista especial: as maldades que ia fazer contra o Reinaldinho Cabeção. Uma vez, o Reinaldinho foi na casa do Zezinho, no dia primeiro, e viu a lista de maldades contra ele mesmo. Aí falou para o Zezinho: “puxa, Zezinho, você não devia ter deixado eu ver essa lista; assim, estraga a surpresa…”


Mais intelectuais apóiam o pres. Zezinho

28/10/2010

O ex-intelectual FHC chorou porque esqueceram de colocar o nome dele.

O Mais Preparado dos Brasileiros. o futuro pres. Zezinho, empolga a elite pensante nacional. Por isso, um grupo de intelectuais udenistas de todo o país lançou um manifesto de apoio à sua candidatura a prefeito da capital paulista.

Segundo os gênios da raça udenista, o Presidente de Nascença é o Mais Moderno Gestor Público Brasileiro, devendo atender o chamado das massas que usam perfume “Sr. N” e  “Kriska” para governar a metrópole da nacionalidade paulista e, assim, levar o Brasil de volta à órbita das grandes democracias ocidentais.

Veja abaixo a nata da intelectualidade nacional, que assinou o manifesto:

Lançamento concorrido

O documento foi lançado ontem à tarde, na Caverna do Ostracismo, fundos, no bairro paulistano de Higienópolis. O concorrido evento teve também a participação de importantes intelectuais da imprensa nacional. O início do evento atrasou um pouco, porque o mestre de cerimônias, M. Madureira, Ph.D., chegou com a cara um pouco inchada e avermelhada, e precisou ser maquiado.

Depois do evento, o congraçamento geral  foi coroado pela realização de uma partida de bocha: moradores vs. jornalistas,  com a vitória dos ostracismenses, evidentemente beneficiados pela ajuda dos jornalistas, que facilitaram para eles o tempo todo.

Comentário da tia Carmela

O Zezinho sempre quis ser intelectual. Quando ele aprendeu essa palavra ele devia estar no ginásio.  Uma vez, ele mandou o Reinaldinho Cabeção fazer uma abaixo-assinado para declarar o Zezinho o maior intelectual da escola. Aí o mandou os moleques da turma do fundão, que eram barra-pesada, saírem coletando assinaturas. Mas a maioria das crianças não quis assinar. No final, só tinha a assinatura dos moleques do fundão, do Reinaldinho Cabeção e do pessoal para quem o Zezinho sempre passava cola nas provas