Acordo CARACU abre disputa pelo Itamaraty

23/04/2010

Na tribuna do Senado, Agripinus disse que adorou o que Obama ofereceu ao Brasil.

O anúncio da intenção do Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro presidente Zezinho (UDN-SP), de assinar o Acordo CARACU com os EUA turbinou a disputa pela vaga de Ministro das Relações Exteriores.

Imediatamente, vários correligionários da UDN declararam-se no páreo para obter o lugar de chefe do Itamaraty, dando continuidade à majestosa obra da dupla Petrus M. Lampreia e M.G. Lafer. na conservação do piso do aeroporto de Washington, D.C.

Os  concorrentes mais destacados são o pitta de estimação do Mais Competente dos Paulistas, Gilberto K. (PQP-SP), e o senador romano Agripinus (ARENA-RN).

Na visita do futuro presidente a seu estado, nesta quinta-feira, Agripinus fez questão de mostrar seu currículo ao Mais Preparado dos Estadistas.

Todo mundo sabe que o pitta de estimação do pres. Zezinho entende desse tipo de acordo.

Segundo o assessor Reinaldinho Cabeção, entendido sobre o assunto, o Almirante do Tietê considerou o CV do senador romano bastante adequado aos desafios da nova diplomacia brasileira em seu governo, especialmente no cumprimento do Acordo CARACU com os EUA.  O presidente Zezinho teria ficado muito bem impressionado com o Rabo de Palha do vetusto e probo baluarte da moral no Senado.

Já Gilbertinho K. tem a seu favor não somente um currículo em que demonstra grande desenvoltura para lidar com as complexas negociações com potências estrangeiras, inclusive em Acordos CARACU.

Tem também o trunfo da proximidade ao Mais Competente dos Gestores Públicos, que lhe deixou dando uma olhada na prefeitura de SP quando foi chamado ao governo dos bandeirantes, naquilo que os paulistas consideram “os melhores dias de nossas vidas“.

Acordo CARACU com a malemolência soteropolitana: o deputado portátil está empolgado com a possibilidade de trocas-trocas comerciais com Obama.

Um terceiro candidato corre e saltita por fora. Trata-se do deputado-mirim ACM Neto. O pequeno deputadinho travesso revelou a seu correligionário da UDN baiana, Paulo C. Solto, que está empolgadíssimo com o Acordo CARACU, pois será uma grande oportunidade de mostrar seus dotes de conciliação e capacidade de fazer generosas ofertas aos países amiguinhos, estabelecendo relações de troca-troca especiais.

Fontes que frequentam a Caverna do Ostracismo  dizem que o ex-sabetudo FHC descarta voltar à função de chanceler. No entanto, FHC apesar de considerar o Acordo CARACU o mais importante ato da diplomacia brasileira, excetuando-se os que ele realizou como ministro das relações exteriores.  “Não é sem motivo que tem minha mãozinha nisso…”

O cozinheiro Caetano candidatou-se: ninguém serve Caracu com ovo melhor do que eu.

Entretanto, as mesmas fontes comentam que Caetano, o cozinheiro baiano que mora de favor com FHC na Caverna do Ostracismo, fundos, pretende pleitear o cargo. Ele teria comentado que o Acordo CARACU é muito moderno e cosmopolita, e que ninguém melhor que ele para apimentar o acordo e as concessões brasileiras ao enorme irmão do norte.

Mas o Presidente de Nascença já avisou aos concorrentes que não adianta nada precipitarem-se. A escolha final do ocupante do Itamaraty será feita apenas após a já definida eleição, em uma reunião já agendade entre o futuro presidente Zezinho e o porteiro da embaixada dos EUA no Brasil.

Comentário da tia Carmela

O Zezinho nunca gostou desse negócio de diplomacia. Uma vez, ele levou uma coça do pai dele por causa disso. Tinha um rapaz lá na Mooca, o Renato, que era muito estudioso e esforçado. Ele conseguiu passar no concurso para ser diplomata. Foi a maior festa na Mooca, ele era o primeiro filho do bairro a fazer tanto sucesso. O Zezinho, que nessa época já devia estar no ginásio, ficou morto de ciúme porque todo mundo só elogiava o Renato. E mandou o Reinaldinho Cabeção espalhar coisas feias sobre o rapaz, até que ele era mariquinha. Quando o pai do Zezinho ficou sabendo, foi um deus nos acuda…


Pres. Zezinho anuncia Acordo CARACU com EUA

22/04/2010

O Presidente de Nascença anunciou que fará um acordo bilateral com os EUA.

Em mais uma decisão corajosa, majestática e gerencial, o Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro presidente Zezinho, decretou o fim do MERCOSUL.

Com o fim dessa idéia petista de se integrar com um bando de indiozinhos analfabetos, as sempre igualitárias relações entre Brasil e EUA entrarão em nova fase, graças à visão de estadista do Presidente de Nascença.

Nesta nova fase da política externa, o Brasil deixará de fazer acordos com países de terceira categoria e poderá dedicar-se à retomada de negociações de alto nível com os EUA, nosso tradicional benfeitor.

O representante de Obama ficou emocionado com o presente recebido.

Segundo fontes de Washington, três experientes ex-ministros das relações exteriores da UDN foram enviados à Disneylândia como emissários do Mais Competente dos Brasileiros: o ex-sábio FHC, Petro Myzontides Lampreia e M.G. Lafer.

Na Disneylândia, depois de pagarem o ingresso, conseguiram ser recebidos pelo Mickey, representando oficialmente o presidente Obama, enquanto este comia um cachorro-quente.  Nas conversas, o rato americano apresentou os termos de um novo acordo a ser assinado pelo Mais Formidável dos Gestores no primeiro dia de seu vindouro governo.

Trata-se do acordo CARACU (Common Agreement on Relationship for America and Countries Underdog), imediatamente aceito com gratidão pelos novos Barões do Rio Branco.

Nesse acordo CARACU,  o Brasil entrará com a segunda parte e abrirá seu mercado para as empresas americanas nos setores industrial e de serviços.  Em troca, os EUA generosamente reduzirão em 1,7% as tarifas alfandegárias para a exportação de algodão-doce brasileiro, durante os meses de dezembro e janeiro de cada ano, destinado aos parques aquáticos de 2 estados americanos: Alaska e Montana.

De acordo com o assessor do pres. Zezinho para Ipanema e Leblon, Johnny Fiúza, a Zona Sul carioca festejou o acordo, na expectativa de que inclua a permissão para estacionar nas calçadas de Miami.

Os norte-americanos adoraram a delegação da UDN (foto) enviada a Orlando pelo pres. Zezinho.

Como forma de agradecer a generosidade norte-americana, o Mais Perfeito dos Líderes mandou dizer ao Mickey que a pendência com os EUA na OMC será cancelada. O Brasil  abrirá mão de aplicar as retaliações comerciais concedidas pela OMC em um momento em que seus dirigentes foram levados na conversa pelo usurpador do planalto.

O presidente Zezinho avisou ao contínuo de Obama que fez-lhe o favor de anotar o recado que pedia perdão em nome do povo brasileiro e que essa sandice jamais se repetirá.

O anúncio do Acordo  imediatamente mobilizou várias estrelas da UDN, interessadas em assumir: o Itamaraty e o CARACU.

Comentário da tia Carmela

O Zezinho sempre gostou de Caracu. Quando ele era criança, lá na Mooca, uma vez ele pegou escondido uma garrafa de Caracu da geladeira da casa dele e fez o Reinaldinho Cabeção beber tudo. Lógico, ele ficou totalmente bêbado. O Zezinho então pegou uma peteca, tirou as penas e fez um cocar, que colocou na cabeça do Reinaldinho. Amarrou um barbante no pescoço dele, colocou um chapéu e saiu dizendo que era o General Custer e tinha caçado um índio perigoso… E foi arrastando o Reinaldinho Cabeção e dando uns croques na cabeça dele, falando, “toma, indiozinho atrevido!”.


Pres. Zezinho acaba com Mercosul

21/04/2010

O ex-chanceler Lampreia aplaudiu a iniciativa.

Em mais uma decisão corajosa, majestática e gerencial, o Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro presidente Zezinho, decretou o fim do MERCOSUL.

Com o fim dessa ridícula aventura sulamericana, iniciada pelo ex-apoiador de FHC, Sarney, diligentemente minada pelo ex-sábio FHC e levianamente valorizada pelo usurpador do planalto, as sempre igualitárias relações entre Brasil e EUA entrarão em nova fase.

O Brasil deixará de fazer acordos com países de terceira categoria e poderá dedicar-se à retomada de negociações de alto nível com os EUA, nosso tradicional benfeitor. Já foi enviada uma equipe de plenipotenciários da UDN para negociar com os EUA um revolucionário tratado bilateral: o Acordo CARACU entre o Grande Irmão do Norte e o Brasil.

Caso os marines precisem de um porto na sua nova base no Paraguai, a Argentina vai virar mar.

Outra consequência do fim da inconveniente união austral será a supressão dos países envolvidos, aos quais será dada nova utilidade:

– Paraguai: será entregue à US Air Force para ser usado como base aérea e centro de distribuição de muamba chinesa designed in California.

– Argentina: uma corrente radical do US Marine Corpse defende a possibilidade de ser transformada em mar para dar um porto ao novo Paraguai, mas o Mais Genial dos Economistas, saudoso de seu exílio Concha y Toro, pediu que seja entregue ao Chile, para que o Brasil finalmente possa fazer fronteira com um país desenvolvido e que é um modelo para nossa pátria.

– Venezuela: mudará de nome para Guantánamo 2 e será administrada em conjunto pela CIA e Exxon. As famílias Frias e Civita finalmente ganharão suas  concessões de TV, no ex-país.

– Bolívia: passará para a administração do exército dos EUA, especialista em lidar com índios rebeldes.

– Uruguai: será transformado em fazenda, a ser vendida à senadora  Katia Abreu (UDR-GO), por R$ 15,00  (financiado pelo BNDES).

Antecedentes

Essa decisão do Presidente de Nascença já vinha sendo gestada desde sua passagem pelo Palácio dos Bandeirantes (conhecida pelos paulistas como “os melhores dias de nossas vidas“). Na ocasião, com o apoio de seu devotado secretário de educação e assuntos gráficos, Paulo Renato Gates de Souza, já havia feito as primeiras mudanças no mapa da América do Sul, que começaram a deixar o Mercosul obsoleto como a Petrobrás e o BNDES.

Repercussões

A medida foi festejada por Lafer (esq., conversando com diplomata americano em recepção nos EUA).

No Itamaraty, a decisão foi muito festejada. Segundo importantes fontes na chancelaria brasileira, os diplomatas brasileiros não terão mais que perder seu tempo aprendendo espanhol, língua de pobre, e poderão dedicar-se ao cultivo do idioma de Shakespeare e Kool Herc.

O humilde ministro das relações exteriores do governo do ex-pensador FHC festejou a decisão do Grande Estadista dos Trópicos. Segundo o ex-lustrador de piso de aeroportos nos EUA, M.G. Lafer, a medida contribuirá para o Brasil conquistar um lugar de destaque na lista dos países mais afinados com os EUA, esse espetacular império cujo ocaso nunca chegará, por ser o instrumento do destino manifesto de civilizar o universo.

Em Higienópolis, as multidões foram as ruas para celebrar, na Praça Vilaboim, mais essa mudança histórica.  Liderada pela sra. Elaine Tacanhede, a  massa cheirosa e seus pets impregnaram a praça com um ar de modernidade e Channel n. 5, festejando a eliminação desses países dispensáveis que só faziam nosso caminho rumo ao primeiro mundo mais longo e pedregoso.

Como se tratava de ocasião festiva, o ex-gênio FHC foi autorizado pela coordenação da campanha do pres. Zezinho a sair à janela de sua residência, na Caverna do Ostracismo, fundos, Higienópolis.  Animado, FHC acenou para a multidão que festejava, mas não obteve resposta.

Comentário da tia Carmela

O Zezinho nunca gostou de argentino ou de uruguaio. Acho que era porque quando os times de lá vinham jogar contra o Palmeiras, sempre ganhavam…