Pres. Zezinho inicia cruzada contra apagão estatístico

14/08/2010

O pres. Zezinho não está feliz com os dados das pesquisas.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro presidente Zezinho, está muito preocupado com os seguidos apagões que o Brasil vem experimentando. Por conta disso, tem feito propostas que demonstram seu superior preparo para dirigir a Nação.

Agora o Presidente de Nascença identifica um novo desafio para o progresso: o apagão estatístico. Esse novo perigo, gerado pela displicência e ignorância do usurpador do planalto, traz riscos exponenciais às instituições udenistas.

Como Maior dos Engenheiros e Prócer dos Economistas, o pres. Zezinho é um homem dado aos números. Nos círculos estatísticos mundiais, é conhecido como o Novo Gauss, já que domina a ciência estatística como poucos.

O Prof. Hariovaldo de Almeida Prado dirige um dos únicos institutos confiáveis para a UDN.

Por isso, com sua bayesiana sabedoria, facilmente inferiu que a competência das empresas de pesquisa de opinião vem caindo semana a semana.

Analisando os resultados das pesquisas eleitorais dos principais institutos,  tem encontrado erros cada vez mais gritantes e fora do desvio-padrão, exceto nas pesquisas do Instituto Dataprado e o CMAPP.

Refletindo com seus botões, à falta de um Neyman  ou um Snedecor para auxiliá-lo, o pres. Zezinho, em sua profunda análise multivariada do problemas, concluiu que o problema tem forte correlação positiva com o despreparo dos estatísticos que trabalham nos institutos, que não conseguem aplicar bons modelos de suavização exponencial às suas pesquisas, gerando saltos bruscos nos resultados.

Sofisticados estudos conduzidos por Mahalanobis, Quiroga, Cox e Wald demonstram o óbvio: o pres. Zezinho vencerá a eleição.

“É claro que não se trata de exigir que os institutos tenham alguém do meu nível”, disse o Bernoulli da Mooca. Não é preciso nem que  contratem um Wedderburn, um Fisher ou um Pearson.

“Mas temos que investir na qualidade da mão-de-obra, formar gente com competência acima da média móve”, disse o grande entusiasta da educação.

Para tanto, o pres. Zezinho decidiu iniciar um ousado programa de formação de estatísticos.

Convocou representantes dos principais institutos de pesquisa para um curso de estatística avançadíssima, ministrado pessoalmente pelo Luminar dos Luminares, como se vê abaixo:

Mas o seu Majestoso Encéfalo de Estadista foi além. Tomou a decisão de criar o Ministério da Estatística e Pesquisas de Opinião.    O novo órgão centralizará a realização de todas as pesquisas de avaliação do governo e de tendências eleitorais. Com isso, acabarão as distorções hoje imperantes e o país terá pesquisas absolutamente confiáveis.

QUADRILHA: A UDN fez uma festa junina para comemorar o início das aulas de estatística do pres. Zezinho

Inicialmente, cogitou-se trazer do mundo desenvolvido algum especialista renomado para dirigir o novo ministério, sendo aventados nomes como os de Goldstein, Vandewalle ou Hubert. Mas o Presidente de Nascença os descartou: “não é preciso chamar esses experts, por eu vou pessoalmente prover o conhecimento de ponta necessário”.

Com isso, ganhou força o nome do seu assessor para pesquisas, sr. Bolat, velho colaborador de confiança e especialista em Distribuição de Poison.

Comentário da tia Carmela

O Zezinho sempre gostou de dar aula de matemática. Quando ele era criança, na Mooca, às vezes ele se oferecia pra dar aula particular pros coleguinhas que iam mal em matemática na escola. Os problemas que ele usava para ensinar os meninos eram sempre assim: “o Zezinho tem três carrinhos e ganhou mais dois; com quantos ele ficou?”. Ou: “um menino tinha 32 dentes antes de começar a brigar com o Zezinho; ao final da briga, tinha 30; quantos dentes o Zezinho arrancou dele?”.  Uma vez o Reinaldinho Cabeção estava indo mal em matemática e o Zezinho ofereceu ajuda. Só que ensinou tudo errado e o Reinaldinho Cabeção foi pior ainda no exame e ficou de segunda época.

Anúncios

Apagão: FHC exige providências de Serra

11/11/2009

Com a falta de energia na noite de ontem, o presidente empijamado FHC telefonou para o Presidente de Nascença, governador Zezinho, para reclamar providências.

maovela

Com pouca força e luz, campanha de Serra dependerá de velas em 2010.

Em sua residência, no fundo da Caverna do Ostracismo, FHC demonstrava estar muito irritado com a falta de luz por dois motivos: o mais banal era que fora obrigado a interromper sua leitura das obras completas de Fukuyama. A outra razão, mais profunda, era o despeito: se esse problema se tornasse permanente, nem isso teria mais como marca exclusiva de seu governo. Por que razão a posteridade me recordará?, resmungava o ex-intelectual.

Em seu telefonema ao Mais Preparado dos Brasileiros, FHC perguntou:

– Foi você que mandou fazer isso, Zé?

– Eu? O quê? Bem… Hã… Não, eu não mandei fazer nada!

– Tem certeza que não foi você que mandou cortar a luz?

– Eu nem sabia que está faltando luz! Estou em um jantar a luz de velas na Lapa, não percebi nada.

– Eu achei que tinha sido você, para ninguém reparar que a sua diferença para a Dilma caiu 8 pontos nas pesquisas, nem que você não consegue entregar as provas nas escolas.

O Fenômeno da Engenharia negou novamente. Então,  aquele que foi intelectual no século passado exigiu ação imediata da oposição sobre o corte de luz subperonista.

A primeira reação do Grande Engenheiro Pátrio foi propor a implantação imediata de pedágio nas linhas de transmissão de eletricidade que cortam o estado de S. Paulo. É só dar um telefonema pra Tejofran e eles põem as cabines rapidinho, disse o Patrimônio da Engenharia Nacional.

O ex-pensador discordou. Como um estratega das Termópilas, traçou os rumos da nova ação da oposição: ponha a culpa no Lula e na Dilma imediatamente.

Diálogos entre gênios são rápidos e dispensam muito palavrório. O Engenheiro Que Vai Recolocar o Brasil no Prumo de pronto compreendeu as inspiradoras palavras do Menem Brasileiro e partiu para  a ação.

Telefonou para sua analista econômica de estimação, sra. Miriam Cochonne, e encomendou-lhe catastrófica análise da situação. A sra. Miriam Cochonne gravou uma entrada na rádio afirmando que a política econômica de Lula era a responsável pela falta de energia, porque as classes C, D e E estavam comprando eletro-eletrônicos demais. Esta é a causa da isto sobrecarga das linhas de transmissão. Em sua fala, também criticou o crescimento de 10% do PIB anunciado para o terceiro trimestre deste ano: se o consumo dos pobres continuar crescendo desse jeito, o governo vai ter que acelerar a exploração do pré-sal para gerar mais energia. E entrevistou a tuiteira de estimação do Engenheiro-Padrão, que afirmou estar preocupada com o impacto do pré-sal no ambiente do  litoral norte de SP: “não vai mais dar para ficar na praia fumando um em paz…”

velas

A apostila a ser distribuída aos alunos das escolas públicas paulistas foi encomendada à Editora Abril.

O Maior dos Engenheiros também convocou seu secretário de Educação e Serviços Gráficos,  Paulo Renato Gates de Souza, para tomar providências. Imediatamente, o Novo Anísio Teixeira formulou uma proposta inovadora: implantar  nas escolas públicas a disciplina profissionalizante de fabricação de velas, substituindo matemática, considerada por ele inacessível e pouco útil aos alunos da rede pública. Com isso, os alunos poderiam ter uma atividade profissional lucrativa no vindouro governo do Predestinado à Presidência, quando a política de energia elétrica tenebrotucana for reimplantada. A assessoria oculta do Pedagogo do BID já trabalha na elaboração da cartilha sobre fabricação e usos adultos de velas decorativas.  Fontes da Praça da República informam que o intelectual Gilbertinho da Vila já mobilizou uma ONG de chefs e restauranteurs da Vila Madalena, que farão campanha  para venda das velas fabricadas pelas crianças remelentas da rede pública de ensino.

Comentário da tia Carmela: Antigamente faltava muita luz, lá na Móoca. A gente brincava: S. Paulo, cidade que me seduz, de dia falta água, de noite falta luz!  Água ainda falta, né?   Quando faltava luz o Zezinho se divertia. Ele tinha um vizinho, o Pedrinho, que sempre fazia estrepolia com ele nessas noites. Uma vez eles pegaram uma vassoura e um lençol branco e fizeram um fantasma. Saíram na rua assustando as pessoas que voltavam para casa no escuro. Teve uma senhora que passou mal e foi reclamar para a dona Serafina. Quando o pai chegou em casa, o Zezinho levou uma coça merecida…


Serra escorrega em banana e cai 4 pontos.

23/09/2009

A última pesquisa eleitoral trouxe um novo revés para o Michelletti Brasileiro.  A despeito de seus assessores Frias, Mesquita e Marinho terem pavimentado seu caminho com folhas de jornal com o alarme de que 67 milhões de brasileiros contrairíam a gripe suína, o autocrata do Morumbi escorregou em uma casca de banana que lhe proporcionou um tombo de 4 pontos.

Ao se ver caído, o Maior de Todos os Homens Bons da Pátria vociferou como de costume contra seus três assessores, acusando-os de incompetência e ameaçando demiti-los.  Ordenou investigação e descobriu que a casca na qual escorregou provinha de uma banana oferecida de brinde por um feirante a uma dona-de-casa que comprara uma dúzia.  Indignado por escorregar em uma banana de número 13, o Servo dos Paulistas ordenou imediata proibição da venda de bananas em dúzias, para impedir o uso do número 13.

Comentário da Tia Carmela: Uma vez, lá na Móoca, o Zezinho levou um tombo feio e teve que tomar 4 pontos, também. Apesar de ter escorregado sozinho, ele quis por a culpa no Renatinho, filho da dona Alzira, que estava brincando com ele. Virou pro Renatinho e falou: a partir de hoje, você está proibido de brincar comigo! O Renatinho deu um tabefe nele e os dois se atracaram, a coitada da dona Serafina teve que separar. E deu mais umas bolachas no Zezinho, para ele deixar de fazer isso…


Serra lança campanha para proibir o filme “A Queda”

04/09/2009

O governaodor José Serra lançou hoje mais uma campanha de proibição, com o auxílio de seu estafeta G. Kassab. Trata-se, agora, da proibição do filme “A Queda”, do alemão Oliver Hirschbiegel. O governador assinou hoje o Decreto no. 19.879/09, que proíbe a veiculação total ou parcial do filme em qualquer ambiente no estado de S. Paulo. Antes, o Mais Douto dos Brasileiros já havia ordenado que a chanceler alemã, Angela Merkel, demitisse Adolf Hitler, o diretor do filme e o ator que trabalha como dublê do personagem principal.

Uma enorme campanha está sendo preparada para divulgar o decreto que proíbe o filme. A campanha publicitária da proibição está orçada em cerca de R$ 20 milhões, e deverá ser levada ao ar em 7 de setembro de 2009. A campanha contará com ampla veiculação de peças publicitárias na televisão, rádio, internet, revistas, jornais, aviões sobrevoando praias e banheiros de bares.  Nas peças publicitárias da TV, o Dr. Drauzio Varella dará explicações para o mal para a saúde que o filme pode fazer. Partidos de oposição acusam a seleção do eminente doutor de ser uma forma de propaganda subliminar do governador.

Além dos anúncios, uma farta distribuição de brindes beneficiará os cidadãos paulistas. O governo de São Paulo vai distribuir 810 mil brindes, de pen drives a lixeirinhas para veículos, passando por porta-retratos e balões de cores sortidas, para promover a legislação que restringe a veiculação e exibição do filme  no Estado, que começa a valer no dia 7 de setembro.

Embora não exista uma previsão exata do custo desses brindes para os cofres públicos, a licitação para comprá-los deve passar de R$ 1,5 milhão. Para a fiscalização, haverá 1.500 agentes.  A distribuição dos materiais promocionais, como são oficialmente chamados os brindes, terá início nas comemorações do 7 de Setembro. O plano é que ocorra de agosto até dezembro, mas esse cronograma depende da conclusão do processo de contratação.

As 810 mil unidades de brindes são destinadas à capital. A aquisição de extras para entregar no interior não está descartada. A distribuição será feita em dez locais de movimento, como estações do metrô, parques, bares e restaurantes. Segundo o governo, funcionários de empresas privadas também devem ser contemplados.

Os brindes a distribuir são:

180 mil porta-retratos magnéticos

10 mil pen drives de 1 gigabyte

210 mil porta-copos

10 mil pins estampados

130 mil balões de cores sortidas

10 mil bonés tipo americano

100 mil cartões postais

100 mil lixinhos para veículos

10 mil camisetas

50 mil chaveiros

Além dos materiais promocionais, o governo vai adquirir no mesmo contrato 3 milhões de gibis (a serem enviados para escolas) e mais 1,6 milhão de folders, folhetos, adesivos e displays com ventosas (para serem colados no vidro do carro, por exemplo). Serão comprados ainda 10 mil cartazes e 12 balões gigantes.

Todos os materiais promocionais terão a logomarca da campanha (ainda não divulgada), uma foto do Dr. Drauzio Varella e os dizeres: “Não faça mal para SP e para o Brasil – não assista ‘A Queda'”.

O dinheiro para bancar os brindes sairá dos recursos destinados à publicidade do governo: R$ 20 milhões, segundo a pasta. O valor total gasto com a campanha  não foi informado pelo governo do Estado.

Atualização: Depois da proibição de A Queda, agora está sendo proibido em todo o Universo, pelo Governador José Serra, o novo filme proibido é Salve Geral, que narra os ataques do PCC em São Paulo, em 2006.

Comentário da Tia Carmela: O Zezinho sempre gostou de distribuir brindes pros outros. Mas nunca com o dinheiro dele. Uma vez, teve um casamento de uma prima minha lá na igreja São José do Belém. O Zezinho foi com os pais dele. Quando foram ver, ele estava andando pela festa distribuindo as lembrancinhas para as moças, que eram um sabonetinho embrulhado em um lencinho de renda. Ele chegava perto  e dizia: posso te dar um presente? Aí as moças achavam graça, pegavam o presente e davam um beijo nele… O duro foi quando o pai da noiva descobriu que ele estava entregando as lembrancinhas antes da hora…


Além do RS, Dilma já passou Serra em mais 2 estados

28/08/2009

Vítima da incompreensão da gentalha ignorante que não compreende sua grandeza intelectual e moral, O Mais Preparado de Todos os Brasileiros, José Serra, além de não conseguir aumentar sua votação e a de seu partido nas últimas eleições, agora vai sendo ultrapassado por Dilma Roussef. Agora foi a vez da Bahia e Pernambuco.  Também já perde para Ciro Gomes no Rio de Janeiro.

Mais um motivo para o leitor responder nossa pesquisa: o que Serra deve fazer depois de perder a eleição de 2010?

Veja a nota abaixo, extraída do blog do Noblat: Aécio usa pesquisa para abrir caminho

De Ilimar Franco:

Por iniciativa do governador Aécio Neves (MG), circula entre os dirigentes tucanos pesquisa Vox Populi. Os números são inquietantes. O governador José Serra (SP) lidera a disputa para presidente, mas já está atrás da ministra Dilma Rousseff na Bahia (32% x 22%) e em Pernambuco (32% x 24%). Está atrás do de$Ciro Gomes (PSB-CE) no Rio de Janeiro (19% x 16%). Tem vantagem sobre Dilma em Minas Gerais (33% x 18%) e em São Paulo (40% x 17%). Já Aécio lidera em Minas contra Dilma (68% x 10%) e tem leve desvantagem em São Paulo (18% x 14%). Foram ouvidas duas mil pessoas de 31 de julho a 4 de agosto.

Comentário da Tia Carmela: Quem fez essa pesquisa vai acabar mandado embora da firma.  Quando era criança, lá na Móoca, o Zezinho uma vez foi pedir pra diretora da escola mandar embora a professora de matemática, porque deu nota vermelha pra ele…


Dilma ultrapassa Serra no RS

12/08/2009

Do blog Cloaca News:

Pesquisa fresquinha do Instituto Vox Populi sobre a intenção de voto dos eleitores do Rio Grande do Sul – estado desgovernado pela tucana Yeda Crusius – apurou que 26% dos gaúchos preferem Dilma Rousseff na Presidência da República contra 25% que escolheriam Zé Chirico. Os dados completos da pesquisa estarão disponíveis ao público amanhã, quinta-feira, na edição de agosto da revista Voto.

Apesar de os números apresentarem um “empate técnico” na liderança, a realidade mostra que a “popularidade” do governador paulista encontra-se em processo de franca derrocada. Vale dizer que, no estado mais meridional do Brasil, Serra está levando fumo.
A pesquisa aponta ainda que Ciro Gomes tem 16% e Heloísa Helena tem 10% das preferências na sucessão presidencial. O Vox Populi também apurou as intenções de voto dos gaúchos para o governo estadual e para o Senado.

Comentário da Tia Carmela: Agora o Zezinho vai mandar crucificar a Yeda Crusius… Coitada daquela senhora…

Pesquisa: Para onde Serra deve ir?

26/06/2009