Crise na UDN: pres. Zezinho briga por causa de pinto

12/03/2011

O Barão de Pindamonhangaba minimizou o conflito: "é um problema bem pequenininho".

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho,enfrenta novo drama. Ainda não refeito da derrota de sua escola de samba no carnaval paulistano, agora vê-se envolvido em uma briga por causa de pinto.

O que é mais triste é que o Presidente de Nascença brigou por causa de pinto justamente com seu muy amigo, Geraldinho do Vale.

Segundo fontes do confessionário do Palácio dos Bandeirantes, o Barão de Pindamonhangaba anda fazendo má-criação para o pinto de estimação do Almirante do Tietê. Parece que Geraldinho do Vale não gosta do bondoso galináceo-mirim e tem feito de tudo para abatê-lo.

Más companhias: Geraldinho do Vale riu do conselho de seu confessor e disse que vai acabar botando o pinto pra fora num dia desses. Dona Lu aplaudiu.

O pinto que é pivô do conflito havia sido adotado pelo pres. Zezinho. O Maior dos Filhos da Mooca hospedou o animalzinho em um prédio do governo do estado na Rua Líbero Badaró, como mascote da repartição.

Entretanto, Geraldinho do Vale quer colocar como mascote da mesma repartição um antigo pitbull de estimação, que andava meio sem função lá em Pinda.

A situação degenerou e um um mar de cizânea, envolvendo não só os dois próceres da UDN paulista, mas vários outros integrantes da prestigiosa agremiação.

Contra tudo e contra todos: O pinto está preparado para o que der e vier.

A ala aviária da UDN imediatamente manifestou seu apoio ao pinto do pres. Zezinho. O tucano verde que o Mais Competente dos Homens comprou em Ipanema leu uma pungente declaração à imprensa. A araponga (Canalhus itagibus) de estimação do Orgulho da Nação também ofereceu seus préstimos ao pinto, que parece estar precisando deles.

O conflito pintocanino chegou à imprensa. O Jornal Mais Vendido do Brasil envolveu-se na contenda, publicando uma reportagem mostrando o pinto como vítima da perfídia da banda podre do reino animal.

Das praias de Copacabana, o fanfarrão minésio, Tancredo Neves, rapidamente procurou tirar proveito da situação. A imprensa de aluguel das Alterosas fez editorial dizendo que a gente de Minas não pode mais tolerar o abuso e o achincalhe contra si, e acusou o pinto de intrometido e de produzir vazamentos constantes.

Os cães policiais estão babando: se a briga esquentar, nem o pitbull nem o pinto ficarão como mascotes da repartição.

Ao mesmo tempo, o grande construtor da Pirâmide Administrativa fazia um discurso conciliador, sugerindo que seria melhor um terceiro assumir a função de mascote da repartição.

Alguns analistas disseram que esse discurso sinalizava um apoio ao nome do líder udenocanino, Sr. Cachorro-Lagosta, para ser o tertius, o que enfraqueceria os dois contendores. O jornalista Merdoval Pedreira, no entanto, mandou cable ao embaixador dos EUA informando que essa versão é totalmente descabida.

Boatos causam desespero

Na tarde de hoje, correram rumores de que, cansado de esperar a nomeação como mascote da repartição da Líbero Badaró, o pitbull de Geraldinho do Vale havia atacado o pobre penoso, que teria sido despedaçado em segundos.

QUADRILHA: Desde a Idade das Trevas, a UDN sempre teve pintos importantes nas suas festas juninas.

Ao ser alcançada pelo boato, a Srta. Francine De L’Herbe entrou em desespero. Largou sua barraca de artesanato hippie na Praça da República e correu até a Rua Líbero Badaró, a cerca de 800 metros. Ao chegar, ficou reconfortada ao saber qual pinto havia sido o motivo da briga: “que susto, pensei que era outro”, teria dito, aliviada.

Comentário da tia Carmela

Você fica escrevendo essas coisas, esses seus amigos boca-suja que ficam lendo o blog vão logo colocar uns comentários cheios de malícia aqui.  Olha que eu não vou deixar escrever indecência, não!  Indecência, já bastam as do Zezinho…

Anúncios