A alegria voltou! No. 5 das Palavras Cruzadas Tucanas!

15/11/2009

Sempre que eu demoro para preparar uma nova edição das Palavras Cruzadas Tucanas minha tia Carmela reclama comigo.  Desta vez demorei um pouco mais. Hoje, quando cheguei na casa dela para o almoço de domingo, a tia Carmela estava brava. E avisou: se você não fizer uma nova pra mim, ainda hoje, fica sem bolo de chocolate no lanche da tarde.

Corri para o computador e preparei esta nova edição. A tia Carmela é um amor, mas é melhor não mexer com ela…

Comentário da tia Carmela:

Até que esta palavra cruzada está boa, com umas coisas difíceis. Mas tem uma palavra repetida, essa da tucana honorária. É porque o Zezinho sempre gostou de ir à Lapa, desde menino?


O complô da polícia contra Serra

01/11/2009
Conspirador

Já se sabe quem é um dos líderes do complô. A Globo tomará providências.

O Guardião do Bem Comum, o sapientíssimo governador Zezinho, descobriu um terrível complô contra seu moralizante e revolucionário governo que já está transformando o Brasil em potência mundial: a polícia de São Paulo, transfomada num valhacouto de petistas, conspira contra o bem da nação, em coluio com favelados viciados na Bolsa Família implantada pelo usurpador do assento do Presidente de Nascença.

Um dos costumeiros insights de genialidade do Novo Bonifácio de Andrada fez-lhe perceber a conspiração, entre uma tuitada e outra. O Presidente Perfeito ligou dois fatos:

1) Três incidentes parecidos em três pontos distantes uns dos outros na cidade de SP: conflitos entre polícia e moradores das favelas  Paraisópolis, Tiquatira e Heliópolis.

Mercenários tentam semear a cizânia entre os homens bons

O gov. Zezinho suspeita de fogo amigo.

Nos três casos, mercenários ignorantes que se vendem por uma cesta básica utilizaram o pretexto de realizar protestos  contra o que chamaram de arbitrariedade policial, por conta do tratamento diferenciado que recebem por serem naturalmente suspeitos de crimes, para fazer a semeadura do caos nas ordeiras terras dos bandeirantes.

Nos três casos, chamou a atenção do Paladino da Concórdia Nacional a atuação patética da polícia. Apesar da voz serena e responsável da grande imprensa haver apontado que os moradores eram manipulados por traficantes, os episódios renderam críticas ingratas ao Mais Diligente dos Governantes.

2) O aumento das estatísticas da violência no terceiro trimestre de 2009.  Roubos, sequestros e latrocínios cresceram assustadoramente, segundo os números da própria polícia. O Governador sentiu-se aliviado porque ao menos um indicador melhorou: o roubo a bancos diminuiu.

O Mais Sincero dos Servidores do Povo, percebendo a armadilha que lhe armavam, imediatamente solicitou ajuda de seus  amigos. Convocou uma reunião de emergência.

Os  deputados federais criptoruralistas Arnaldo Madeira e Carlos Sampaio, do PSDB-SP, chegaram à audiência do governador trazendo uma caixa de laranjas cada um. Junto, eram portadores da notícia de que o nefando conjuro incluía também a subversiva invasão de terras federais legitimamente griladas pela Cutrale, realizada pelos inimigos da prosperidade da nação cobertos pela vermelha bandeira do MST. Tal ato demonstra que a cruel conspiração tem também a participação dos criminosos da Via Campesina e do  MST, conforme documento já encomendado à Folha de S. Paulo.

O deputado Arnaldo Madeira

O deputado Arnaldo Madeira no momento em que alertava o governador Zezinho: o MST está atentando contra a democracia e o direito à grilagem.

Um especialista tucano em segurança pública foi enviado diretamente do Rio Grande do Sul pela sua correligionária preferida, a cleptogovernadora cleptotucana Yeda Crusius, especializada em resolver conflitos com o MST.  Segundo o powerpoint do especialista,  os favelados e os falsos trabalhadores rurais organizaram os atos badernosos com o apoio de um grupo de militantes esquerdistas que opera com o nome de Os Aloprados e que possui diversos agentes infiltrados no comando das polícias civil e militar do estado. Estava comprovado ser, de fato, um enorme complô contra o Gênio da Promoção do Desenvolvimento, unindo a polícia e os moradores de algumas das maiores favelas de SP, além do crime organizado, os petistas e o MST. A equipe de contrainformação colocada à disposicão pela Rede Globo informou  a realização de  uma reunião secreta do complô, no estádio do Morumbi.

Convencido da traição contra sua sabedoria, O Homem Talhado para Levar o Brasil ao Século XXII decidiu agir rapidamente. Solicitou ao seu assessor de imprensa de estimação , o jornalista Reinaldinho Cabeção, uma nota pública a ser veiculada em rede nacional pela revista Veja. Diz a nota:

A polícia de São Paulo está  dominada por perigosos petistas infiltrados. Um complô terrível faz com que a segurança pública de São Paulo venha enfrentando problemas inadmissíveis. Não fosse isso, o governador, na condição de ser O Mais Preparado dos Brasileiros, já teria conseguido corrigir as deficiéncias da polícia, fazendo com que ela se tornasse um reflexo de sua competéncia inegável. Sendo O Mais Democrata dos Democratas, jamais aceitaria que seus subordinados tratassem com violência e preconceito os desvalidos da sociedade. Sendo Defensor das Prosperidade dos Paulistas, jamais permitiria que os preciosos bens da população ordeira e trabalhadora fossem-lhe subtraídos pelos vagabundos que vêm para este estado roubar e estragar o sistema educacional. Sendo o Demiurgo do Progresso Nacional,  jamais toleraria a complacência da polícia com o ataque aos legítimos interesses econômicos dos citroempreendedores bandeirantes. O governador pede a todos os paulistas que se mantenham calmos neste momento de transe. A Rede Globo, os jornais paulistas e a Vejinha já foram mobilizadas para destruir o complô, nem que seja preciso recorrer à presidência do STF.

Após a divulgação da nota, o Mais Paulista dos Filhos da Móoca decidiu acelerar o processo de privatização da segurança pública no estado. Foi constituído um grupo de trabalho para discutir o tema, coordenador por Zuzinha Covas, Barjas Negri e o Senador Tasso Jereissati.

Comentário da Tia Carmela: Já falei pra você que o Zezinho nunca gostou muito de pobre. Lembra da história do Baianinho, que dormia embaixo da marquise e ele queria que o guarda noturno expulsasse da rua?  Depois o Zezinho ficava falando na rua que o Baianinho e o guarda noturno tinham um complô contra ele. Na verdade, não foi a primeira vez. O Zezinho sempre achou que faziam complô contra ele. Uma vez foi reclamar com a diretora do grupo escolar, porque os meninos da sala tinham ido caçar passarinho lá pros lados da Penha e não chamaram ele. Ele falou pra diretora que eles estavam “conspirando contra ele”. A diretora caiu na gargalhada e o Zezinho passou a dizer que ela estava conspirando contra ele, também…


Anistia Internacional denuncia Polícia comandada por Serra

28/08/2009

Em seu afã por reconhecimento internacional, o Iluminado Homem Que Governa São Paulo conseguiu mais um tento. Agora  entrou para a lista de denunciados pela Anistia Internacional, em companhia de seu fiel escudeiro, o ex-secretário de planejamento de Celso Pitta e atual prefeito, Gilberto Kassab.O motivo da denuncia é a ação de expulsão de sem-teto de um terrreno no Capão Redondo, periferia de SP, pela polícia. A expulsão dos ocupantes do terreno, famílias muito pobres e em geral de origem nordestina, foi brutal e seguiu a mesma prática adotada contra os estudantes e funcionários da USP: violência e bombas de gás lançadas sobre pessoas desarmadas. É a prática de lidar com a questão social do governo do Mais Preparado dos Brasileiros, como já se sabe. E, agora, motivo de orgulho para todos os paulistas!

Veja a denúnica no site da Anistia Internacional e comentários de Paulo Henrique Amorim.

O reconhecimento internacional gerado por essa  nova vitória das forças policiais de Serra contra inimigos indefesos soma-se a outro grande feito recente: a premiação fajutamente atribuída à ONU, mas de fato promovida por uma acusada de desviar recursos da construção de  maternidades.


Comentário da Tia Carmela: O Zezinho nunca gostou muito de gente que mora na rua. Lá na Móoca, antigamente, tinha um moço bonzinho, que todo mundo chamava de Baianinho mas que era, na verdade, de Pernambuco. Ele era muito pobre e não tinha casa. Quando ficava sem trabalho e não tinha mais como pagar a vaga na pensão,  às vezes dormia de favor na oficina do seu Firmino, às vezes dormia na rua. Um tempo ele estava dormindo toda noite embaixo de uma marquise de uma loja desocupada. E o menino Zezinho foi falar com o vigia noturno para tirar ele de lá, porque estava enfeiando a rua. Levou uma bronca danada da mãe dele, que era uma pessoa muito correta… A finada dona Serafina ralhou com ele dizendo: “Onde já se viu tratar mal as pessoas só porque elas são pobres!”… Mas a partir desses dia ele sempre tratava mal o coitado do Baianinho, que não fazia mal a ninguém…