Jantar na Caverna do Ostracismo atrai milhões

26/11/2011

A presença do Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, será um dos pontos altos do jantar beneficente promovido pelo Retiro do Udenista (Caverna do Ostracismo, fundos, Higienópolis).

O Presidente de Nascença rivaliza com o palestrante de honra, o ex-intelectual FHC, na capacidade de atrair importantes representantes da gente bonita paulistana para o convescote.

LEIA O POST COMPLETO


Ser UDN é… – as figurinhas da UDN são a nova sensação!

15/03/2011

Para você que colecionou as Figurinhas dos  Amiguinhos do Zezinho, e ficou triste porque o álbum acabou, temos uma maravilhosa notícia: tem  álbum novo na praça!

São as figurinhas “Ser UDN é…”. Você vai se divertir mais ainda, colecionando as figurinhas sobre os udenistas mais bacanas e sua vida cheia de glamour!

CLIQUE AQUI PARA RECEBER O PACOTINHO N. 1 E CONHECER O NOVO ENDEREÇO DO BLOG DA TIA CARMELA


Crise na UDN: pres. Zezinho briga por causa de pinto

12/03/2011

O Barão de Pindamonhangaba minimizou o conflito: "é um problema bem pequenininho".

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho,enfrenta novo drama. Ainda não refeito da derrota de sua escola de samba no carnaval paulistano, agora vê-se envolvido em uma briga por causa de pinto.

O que é mais triste é que o Presidente de Nascença brigou por causa de pinto justamente com seu muy amigo, Geraldinho do Vale.

Segundo fontes do confessionário do Palácio dos Bandeirantes, o Barão de Pindamonhangaba anda fazendo má-criação para o pinto de estimação do Almirante do Tietê. Parece que Geraldinho do Vale não gosta do bondoso galináceo-mirim e tem feito de tudo para abatê-lo.

Más companhias: Geraldinho do Vale riu do conselho de seu confessor e disse que vai acabar botando o pinto pra fora num dia desses. Dona Lu aplaudiu.

O pinto que é pivô do conflito havia sido adotado pelo pres. Zezinho. O Maior dos Filhos da Mooca hospedou o animalzinho em um prédio do governo do estado na Rua Líbero Badaró, como mascote da repartição.

Entretanto, Geraldinho do Vale quer colocar como mascote da mesma repartição um antigo pitbull de estimação, que andava meio sem função lá em Pinda.

A situação degenerou e um um mar de cizânea, envolvendo não só os dois próceres da UDN paulista, mas vários outros integrantes da prestigiosa agremiação.

Contra tudo e contra todos: O pinto está preparado para o que der e vier.

A ala aviária da UDN imediatamente manifestou seu apoio ao pinto do pres. Zezinho. O tucano verde que o Mais Competente dos Homens comprou em Ipanema leu uma pungente declaração à imprensa. A araponga (Canalhus itagibus) de estimação do Orgulho da Nação também ofereceu seus préstimos ao pinto, que parece estar precisando deles.

O conflito pintocanino chegou à imprensa. O Jornal Mais Vendido do Brasil envolveu-se na contenda, publicando uma reportagem mostrando o pinto como vítima da perfídia da banda podre do reino animal.

Das praias de Copacabana, o fanfarrão minésio, Tancredo Neves, rapidamente procurou tirar proveito da situação. A imprensa de aluguel das Alterosas fez editorial dizendo que a gente de Minas não pode mais tolerar o abuso e o achincalhe contra si, e acusou o pinto de intrometido e de produzir vazamentos constantes.

Os cães policiais estão babando: se a briga esquentar, nem o pitbull nem o pinto ficarão como mascotes da repartição.

Ao mesmo tempo, o grande construtor da Pirâmide Administrativa fazia um discurso conciliador, sugerindo que seria melhor um terceiro assumir a função de mascote da repartição.

Alguns analistas disseram que esse discurso sinalizava um apoio ao nome do líder udenocanino, Sr. Cachorro-Lagosta, para ser o tertius, o que enfraqueceria os dois contendores. O jornalista Merdoval Pedreira, no entanto, mandou cable ao embaixador dos EUA informando que essa versão é totalmente descabida.

Boatos causam desespero

Na tarde de hoje, correram rumores de que, cansado de esperar a nomeação como mascote da repartição da Líbero Badaró, o pitbull de Geraldinho do Vale havia atacado o pobre penoso, que teria sido despedaçado em segundos.

QUADRILHA: Desde a Idade das Trevas, a UDN sempre teve pintos importantes nas suas festas juninas.

Ao ser alcançada pelo boato, a Srta. Francine De L’Herbe entrou em desespero. Largou sua barraca de artesanato hippie na Praça da República e correu até a Rua Líbero Badaró, a cerca de 800 metros. Ao chegar, ficou reconfortada ao saber qual pinto havia sido o motivo da briga: “que susto, pensei que era outro”, teria dito, aliviada.

Comentário da tia Carmela

Você fica escrevendo essas coisas, esses seus amigos boca-suja que ficam lendo o blog vão logo colocar uns comentários cheios de malícia aqui.  Olha que eu não vou deixar escrever indecência, não!  Indecência, já bastam as do Zezinho…


Unidos da UDN rouba a cena no Carnaval Paulistano

05/03/2011

Nosso agradecimento ao Revmo. Pe. Quevedo, que inspirou e contribuiu com a elaboração também deste post.

O carro alegórico "Democratas da UDN" saiu quase vazio: vários integrantes abandonaram o desfile e deixaram a escola na mão.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro presidente Zezinho, comandou o desfile do Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos da UDN, ponto alto da abertura do carnaval da locomotiva da nação neste ano.

Como era esperado, a Unidos da UDN roubou a cena.O Presidente de Nascença, como diretor de harmonia, concórdia e lealdade da agremiação udenocarnavalesca, garantiu que a escola empolgasse as massas que acorreram ao camarote da imprensa no  sambódromo para delirar com o desfile de sua escola do coração.

Enredo emocionante

Com o enredo  “Naveguei no Mar da Traição para Chegar em 2014 ao Reino Encantado do Planalto Dourado: O Sonho do Almirante do Tietê” a escola de Higienópolis levantou as arquibancadas do Sambódromo do Anhembi.

Um belo carro alegórico homenageou o ex-sábio FHC, presidente de honra da Unidos da UDN

O desfile da escola contou as aventuras do Almirante do Tietê, o Mais Preparado dos Heróis Brasileiros, em sua luta contra os mais terríveis monstros, para chegar ao Reino Encantado do Planalto Dourado. Como um novo D. Sebastião, o Almirante do Tietê nasceu para reinar sobre um amplo domínio a ele assegurado pelos céus, mas, para isso, tem que enfrentar os infiéis selvagens. Depois de várias tentativas e traições, finalmente alcançará seu objetivo, em 2014.

A abertura do desfile já foi espetacular. O carro abre-alas apresentou o símbolo da Unidos da UDN, a simpática ave parasita Ramphastos udeenius vulgaris, elevada  a 30 metros de altura para representar a sabedoria e pureza da UDN pairando sobre a plebe ignorante, corrupta e sem MBA nos EUA. Para tal façanha, a escola utilizou um experiente guindaste do Robanel, fornecido pela empresa da mãe do tesoureiro da agremiação, Sr. Paulo Caixa Preta 2. O tesoureiro também foi responsável por organizar a arrecadação da comissão de frente de 20%, da qual 1/3 sumiu misteriosamente, mas sem prejudicar o brilho do desfile.

Amor e devoção à Unidos da UDN

O Mestre-Sala, sr. Bob Freire, não resistiu e se ajoelhou quando o pres. Zezinho passou.

O casal de mestre-sala e porta-bandeira, Sr. Bob Freire e Sra. Soninha Copélia, foi um espetáculo à parte. Ao longo do desfile fizeram grandes evoluções em círculos. Foi comovente a maneira como o Sr. Bob Freire beijava a bandeira da Unidos da UDN.

Em um gesto polêmico de demonstração de amor pela agremiação, os dois pisotearam as bandeiras de suas antigas escolas de samba, arrancando urros extasiados dos eleitores infantis paulistas que assistiam ao desfile.

No final, a Sra. Soninha Copélia não mais aguentou o pesado vestido. Com extrema habilidade, arrancou a vestimenta sem soltar o mastro nem deixar a bandeira cair, e concluiu o desfile sem roupa, sob os aplausos do público e bolinações dos aposentados da Caverna do Ostracismo, que tiverem uma ala própria.

Bateria nota dez e notas de R$ 100

O ex-jogador Ronaldo desfilou na ala dos aposentados, com seus amigos de bocha da Caverna do Ostracismo.

A bateria foi outro grande destaque. Comandada pelo Mestre Hariovaldo, ela garantiu a empolgação dos foliões. Também neste quesito a Unidos da UDN inovou: contou com a participação de vários integrantes da cooperativa de autogestão prisional do Estado, que utilizaram instrumentos automáticos e de repetição. Como não trouxeram seus silenciadores, o som da bateria tomou conta do sambódromo e de toda a da cidade. Findo o desfile, alguns irmãos aproveitaram que estavam lá para vender uns bagulhos para o povo nas arquibancadas; outros aproveitaram para tomar uns bagulhos do povo na saída do Anhembi.

Além de garantir a harmonia da Unidos da UDN, o pres. Zezinho também foi o criador de muitas fantasias usadas no desfile, com a ajuda de parceiros como Merdoval Pedreira, Miriam Cochonne, C.A. Merdenberg, Arnaldo Jabá, Ari Camelo e outros ilusionistas menos conhecidos.

Muita gente acreditou que a fantasia "Almirante do Tietê, o Grande Gestor" fosse real.

Fantasias como “Almirante do Tietê Criando os Genéricos”, “Almirante do Tietê Atacado Pela Fita Crepe Malvada”, “Monstra Assassina de Criancinhas” e “Almirante do Tietê Defendendo a Petrobrás” fizeram vários eleitores infantis paulistas que assistiam ao desfile acreditar que eram reais.

A grande surpresa do desfile foi o Barão de Pindamonhangaba. O Dr. Geraldinho do Vale recusava-se a participar do desfile por considerá-lo um momento de perdição e conscupicência, mas mudou de idéia quando soube que a Unidos da UDN ganhara o nihil obstat de D. Luizinho, bispo  de Guarulhos. Aí, reivindicou participação na comissão de frente de 20%.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: Depois que o carnaval passar, a quadrilha da UDN volta.

O Zezinho sempre gostou de carnaval. Quando ele era criança, lá na Mooca, ainda não tinha desfile de escola de samba como tem hoje. Mas ele adorava a brincadeira de  de jogar água nos outros.  Uma vez, ele arrumou umas daquelas bisnagas de jogar água imitando lança-perfume e chamou o Reinaldinho Cabeção para brincarem. Em vez de água, eles encheram as bisnagas de xixi. Aí, foram para os lados do Hipódromo e começaram a espremer as bisnagas e molhar os outros meninos, que também estavam com suas bisnagas de água. Quando um percebeu que aquilo não era água e sim xixi, ficou furioso e avisou os outros. O Zezinho saiu correndo e deixou o Reinaldinho Cabeção lá, apanhando sozinho…


Carnaval na Caverna do Ostracismo: UDN funda escola de samba

03/03/2011

Nosso agradecimento ao Revmo. Pe. Quevedo, que inspirou e contribuiu com a elaboração deste post. Minha tia Carmela disse que vai fazer um bolo de chocolate especial para ele.

A Unidos da UDN adotou a tração ecológica em seus carros alegóricos, com a ajuda de importantes jornalistas do Jornal Mais Vendido do Brasil.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro presidente Zezinho, foi convocado pelos seus colegas da Caverna do Ostracismo para mais uma tarefa fundamental para a redenção da Pátria Bandeirante.

O Presidente de Nascença foi escolhido por unanimidade para ocupar o cargo de Diretor de Harmonia da nova agremiação carnavalesca paulistana: A Escola de Samba Unidos da UDN.

Nascida para o sucesso, a já popularíssima escola de samba está roubando a cena do carnaval paulistano, como somente a UDN saberia fazer.

Com sede localizada no aristocrático bairro de Higienópolis, a Unidos da UDN vem para seu primeiro carnaval com o enredo “Naveguei no Mar da Traição para Chegar em 2014 ao Reino Encantado do Planalto Dourado: O Sonho do Almirante do Tietê”.

O enredo conta as aventuras de um personagem mitológico, o Almirante do Tietê, em sua luta contra os mais terríveis monstros para chegar ao Reino Encantado do Planalto Dourado, construído para ele desde a eternidade.

O mascote da escola, sr. Cachorro-Lagosta, aprovou a fantasia que vai usar no desfile deste ano.

Confira a ficha técnica da nova alegria dos paulistanos:

Nome Oficial: Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos da UDN

Data de fundação: 21/04/1500

Cores Oficiais: Verde-dólar, Azul-euro e Amarelo-ouro

Ave-símbolo: Tucano Real (Ramphastos udeenius vulgaris)

Endereço: Caverna do Ostracismo , fundos, Higienópolis-SP

Patronos: Daniel Mendes e Gilmar Dantas

Presidente: Serginho Guerreiro

Presidente de Honra: Seu Fernando Pé na Cozinha

Vice-Presidente: Mapa do Chile

Tesoureiro: Paulo Caixa Preta 2

Diretor de Bateria: Mestre Hariovaldo de Almeida Prado

Diretor de Harmonia, Concórdia e Lealdade: Zezinho da Mooca

DEVASSA: Depois de unir-se à UDN na campanha do pres. Zezinho, a sra. Sandy perdeu de vez a compostura e prometeu desfilar vestindo apenas um rótulo de cerveja.

Diretor de assuntos gráficos: Paulo R. Gates de Souza

Diretora de Fumacê: Francine De L’Herbe

Diretor Comercial: Fernandinho Gabeiramar

Diretor de Projetos Comunitários Bacanas com Crianças Remelentas: Gilbertinho da Vila

Diretor Espiritual: $ilas Malacheia

Capelão: Pe. Marcelo Rossi

Motorista: Jarbas Pernambucano

Ala dos Compositores: Caetano Cozinheiro, Jobinzinho Sargento e Dominguinhos Sanfoneiro

Assessor de imprensa: Merdoval Pedreira

Mascote: Cachorro-Lagosta

Rainha da Bateria: Cláudia Abreu

Madrinha da Bateria e Boneca Inflável da Rapaziada: Bianca Dias

Mestre-Sala e Porta-Bandeira: Bob Freire e Soninha Copélia

Destaques: Miriam Cochonne, Hipólito da Costa, Joanna Kramer, Cristiana Cordeiro e Elaine Tacanhede

QUADRILHA: O mestre-sala e a porta-bandeira vêm treinando há tempos na quadrilha da UDN.

Velha Guarda: Heráclito de Éfeso, Mao Boba, Jorge Borraugem, Cesar Malta

Comissão de Frente: 20% (a ser recolhida pelo sr. Paulo Caixa Preta 2)


Comentário da tia Carmela

Agora é que o carnaval vai virar uma pouca-vergonha, mesmo…




Pres. Zezinho pacifica a UDN

28/01/2011

Cultura da paz: O Dalai Lama riu muito com as piadas do pres. Zezinho.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, é um amante da paz, da harmonia e da concórdia. Sempre pregando a paz, construiu uma carreira política sólida que o credenciou como a maior liderança política da UDN e da Nação Brasileira.

Amante da paz, o Presidente de Nascença vinha manifestando a assessores mais próximos sua preocupação com as belicosas manifestações de alguns setores da UDN. Esses setores vinham se articulando para uma estratégia de guerra fratricida.

Manso como uma pomba, e firme como um leão, o Gandhi do Alto de Pinheiros resolveu agir e articulou, com apoio de seus companheiros da Caverna do Ostracismo, fundos, um movimento pela unidade da UDN que acabou com a cizânia.

Apesar de ser um pacifista, o Cachorro-Lagosta se diz pronto para a guerra, se precisar.

Apesar de sua liderança inconteste possibilitar-lhe ser escolhido por aclamação para todos os principais cargos de direção da UDN simultaneamente, a modéstia e o espírito pacificador do pres. Zezinho falaram mais alto.

Avesso a cargos e ao poder, o Almirante do Tietê anunciou que não pretende ocupar nenhum cargo, esvaziando a articulação da minoria da UDN que desejava declarar guerra à sua brilhante liderança.

Mostrando desprendimento que só os grandes homens possuem, o Maior dos Brasileiros designou para presidir a UDN o sr. Cachorro-Lagosta, experiente quadro udenocanino caracterizado pela mansidão, lealdade e simpatia.

A insistência da minoria sem representatividade em levar a guerra às últimas consequências despertou no Maior dos Filhos da Mooca uma ira santa. A ávida sanha dos seus opositores pelo poder chegou até o Instituto Menestrel das Alagoas e Alagados, importante think tanque udenista. Dada a inegável superioridade de seu Majestoso Encéfalo, o Presidente de Nascença seria a pessoa mais indicada para dirigir este centro de estudos que é o  pólo irradiador de sabedoria aquática.

O pres. Zezinho gosta de coração de estudante desde criança.

Mas, novamente, o Almirante do Tietê abdicou da honraria e  indicou o sr. Milton Nascimento para a presidência, agradando, assim, a sessão mineira da UDN. O instituto passará a funcionar em sua nova sede, na Av. Marginal Serra, em São Paulo. A medida também resolveu o velho complexo de inferioridade mineiro, pois  Tancredo Neves teria afirmado, ao olhar para fora da janela do edifício: “não é igual a Copacabana, mas já é um quase um mar”.

A operação de pacificação completou-se com a definição da liderança da UDN na Câmara dos Deputados.  Com o auxílio de seus muy amigos Tancredo Neves e Geraldinho do Vale, o Pacificador da  Nação articulou um manifesto subscrito pela quase totalidade da bancada, defendendo a candidatura do sr. D. Nojeirinha Junior, de tradicional famiglia udenoruralista da Califórnia.

Mão grande e benta: os novos dirigentes da UDN foram abençoados pelo pres. Zezinho (direita).

Apenas o sr. Aluísio Biggs de Oliveira opôs-se à iniciativa, defendendo que o próprio pres. Zezinho deveria ocupar a liderança na Câmara, mesmo não sendo deputado, mas o sr. Paulo Caixa Preta 2 (assessor para assuntos propinoviários do pres. Zezinho) deu-lhe 300 mil razões para mudar de idéia.

Com esses movimento hábeis, o Maior dos Brasileiros conseguiu seu objetivo: manteve a UDN uma agremiação pacífica e harmoniosa, com a imensa maioria de seus membros devotando-se a mais profunda admiração e respeito. Demonstrou que não precisa de cargos, pois seus indicados assumiram as principais funções na UDN, mas continuará sendo ele o Iluminado Guia que conduzirá a UDN até onde a maioria dos brasileiros deseja vê-la.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: UDN comemorou com uma bela festa junina em volta da fogueira das vaidades.

O Zezinho sempre gostou de brincar de guerra. Ele e os moleques pegavam uns cabos de vassoura e diziam que eram fuzis, e usavam as panelas das mães como capacete. O Zezinho sempre queria ser da turma dos americanos, e no meio da brincadeira, em vez de fingir que atirava com o cabo de vassoura, saía correndo atrás dos moleques batendo com o cabo de vassoura na cabeça deles e gritando “guerra é guerra,  quem não é meu amigo se ferra!” O Reinaldinho Cabeção ia atrás, tentando fazer o mesmo, mas sempre algum moleque pegava ele e dava uma surra. Ele apanhava por ele e pelo Zezinho…


Falhas na armação agravam crise da UDN

24/06/2010

O Presidente de Nascença vai liderar o time da UDN rumo à vitória, apesar das dificuldades.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro presidente Zezinho, tem uma vida muito fácil em sua campanha vitoriosa. Todas as pesquisas pressagiam um desempenho espetacular nas vindouras eleições. Não há muito o que fazer, pois o coração do eleitorado já está conquistado.

Por isso, o Presidente de Nascença tem podido dedicar-se a outra nobre tarefa: ser o capitão do time da UDN, que vai jogar contra o Brasil.  Toda sua capacidade de liderança certamente vai resolver os problemas da equipe udenista, que não são poucos.

Como a UDN é o time queridinho da imprensa, até agora a crise não era noticiada e parecia que tudo ia bem. Entretanto, não é mais possível esconder uma série de dificuldades.

Sen. Branco Dias (UDN-PR) é cotado para ser o vice-capitão, mas preferia brincar de amarelinha a jogar futebol, quando criança.

Sen. Branco Dias (UDN-PR) é cotado para ser o vice-capitão, mas gostava mais de brincar de amarelinha que de jogar futebol, quando criança.

O especialista em armação, Eduardo G. Zeppelin, muito hábil para enganar os adversários, tem falhado nas suas jogadas, cada vez mais previsíveis. Como os adversários passaram a desarmá-lo com facilidade, Eduardo G. tem jogado de maneira muito truculenta, contando com a complacência dos juízes e seus auxiliares. É tão protegido pela arbitragem que recentemente cometeu uma falta grave e o juiz mandou expulsar a torcida porque esta se manifestou.

O capitão do time, o futuro presidente Zezinho, é acusado de ser um jogador fominha. Quer centralizar todas as jogadas e fazer os gols sozinho. Nem sempre ouve as instruções do técnico e exige a saída dos companheiros que criticam seus erros. Também tem impedido jornalistas que o criticam de fazer a cobertura do time.

O Cachorro-Lagosta corre em busca do lugar de vice-capitao do time da UDN.

Por causa do capitão, o time tem jogado com um a menos, pois ele não decide quem será o vice-capitão. Pior, os candidatos mais cotados parece que nunca foram muito chegados a bater uma bola, desde crianças. Por fora corre o Cachorro-Lagosta, que, apesar de fominha, tem a vantagem de estar sempre disposto a correr atrás da bola, ainda que só tenha treinado com bolinhas de tênis.

Muitos jogadores têm sido acusados de pipoqueiros, não dando combate aos adversários adequadamente. Até um dos craques da equipe, o meia Tancredinho Mineiro, é acusado de fazer corpo mole porque não foi escolhido capitão do time.

Quadrilha: o time da UDN tem deixado de treinar porque prefere participar das festas juninas.

Também o time feminino da UDN enfrenta problemas. A capitã Soninha Copélia tem sido acusada de não se dedicar aos jogos oficiais, preferindo jogar pelada. Klaudia Abreu insiste no drible da vaca, o que exige muito espaço e a faz adotar um estilo muito violento. Ymelda Cruzes caiu em descrédito junto à torcida e a imprensa. Apesar de muito eficiente para roubar e receber bolas e para matar jogadas, não faz gols e vive brigando com os torcedores.

O comentarista esportivo Merdoval Pedreira, no entanto, diz que as notícias de crise na UDN são completamente descabidas.

Comentário da tia Carmela

O Zezinho nunca soube jogar sem brigar. Ele acabava ficando nervoso quando o time dele começava a perder e desandava a bater nos outros meninos. Às vezes, batia até no time dele…