Carnaval da UDN: deputado-mirim é novo líder da ala das baianas

05/02/2011

O pres. Zezinho gostou da nova fantasia do deputado-mirim.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, segue sendo bem sucedido em seu generoso trabalho de pacificação e fortalecimento da UDN em todo o Brasil.

Nesta semana, o Presidente de Nascença obteve uma nova vitória. Mais um importante cargo de direção da UDN foi preenchido em clima de harmonia, paz e congraçamento.

Desta vez, tratou-se da escolha do novo líder da ala infantil das baianas da Escola de Samba Unidos da UDN, importante agremiação político-carnavalesca de Higienópolis.

Tancredo Neves (direita) está fazendo tudo para levar o efebo para conhecer sua pirâmide administrativa em BH.

O escolhido foi o deputado-mirim TPM Nato, ainda jovem, porém um quadro importante no udenismo soteropolitano. O portátil udenista fez carreira no circuito Barra-Ondina, e agora pretende continuar a fazer carreira na Unidos da UDN.

Essa preocupação com uma boa carreira o aproximou do faraó minésio, sr. Tancredo Neves, que compartilha com TPM Nato os mesmos ideais de carreira.

Reações

Quem não gostou muito da escolha do efebo-udenista foi o pitta de estimação do Almirante do Tietê, que queria que um amigo seu fosse o novo líder da ala infantil das baianas.

A velha guarda da UDN também abençoou a candidatura do precoce líder das baianas impúberes.

Preocupado com seu pitta de estimação, que tem ameaçado fugir de casa, o pres. Zezinho chegou a pensar em usar a confiança e respeito que desfruta entre seus colegas udenistas para intervir na eleição. Mas, em nome da unidade da UDN, preferiu abençoar o escolhido e comprar uma coleira mais forte para seu pet.

Segundo fontes próximas, o Maior dos Filhos da Mooca teria declarado, durante partida de bocha no Retiro do Udenista (sito à Caverna do Ostracismo, fundos),  que apoiou o deputadinho  em nome da unidade da UDN, mas que pessoalmente estava triste.

Na verdade, o pres. Zezinho estaria meio enciumado, pois teria comentado: “no ano passado, esse moleque passou o carnaval comigo, em Salvador; agora, já está fazendo a maior folia com o Tancredo…”

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: A ala infantil da UDN comemorou a eleição do minideputado com uma festa junina em um buffet infantil da V. Madalena.

O Zezinho sempre gostou de baiana. Quando era criança, uma vez ele viu um livro sobre tipos folclóricos brasileiros e gostou das baianas quituteiras. Aí ele teve uma idéia. Pediu para a mãe dele fazer um bolo. E convenceu o Reinaldinho Cabeção a ficar na rua vendendo os pedaços do bolo, dizendo que eram quitutes baianos. Arrumou uma tábua de tabuleiro e mandou o Reinaldinho Cabeção se enrolar em uns lençóis e panos brancos, como se fosse uma baiana. Não chegou a vender nada, porque uns moleques passaram na rua e viram o Reinaldinho Cabeção de baiana e começaram a gozar da cara dele. O Reinaldinho Cabeção falou para os moleques:  “mas foi o Zezinho quem mandou…”, e aí eles riram mais ainda, e tomaram o bolo do Reinaldinho Cabeção, que voltou chorando pra casa enquanto o Zezinho ficou de longe gargalhando. No dia seguinte, o Reinaldinho Cabeção foi procurar o Zezinho e disse: “Zezinho, quer que eu me vista de baiana novamente e a gente tenta vender outro bolo?”

Anúncios

Pres. Zezinho lidera UDN no socorro ao Faraó

31/01/2011

SOLIDARIEDADE ORGANICA: O faraó ligou para o pres. Zezinho pedindo ajuda.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, é reconhecido em todo o planeta como um estadista generoso e pacifista.

Por isso, em um momento de adversidade, o Faraó do Egito pediu socorro ao Presidente de Nascença para controlar distúrbios promovidos por um bando de baderneiros treinados pelo MST e APEOESP.

Solidário com seu amigo Faraó, o Maior dos Filhos da Mooca decidiu emprestar sua expertise em resolver conflitos de forma negociada e pacífica.

Em um gesto de solidariedade, convocou seus seguidores para socorrer o mandatário egípcio.

GRATIDAO: Na juventude, o pres. Zezinho costumava ir pedir conselhos ao Faraó, e agora quer retribuir.

Sempre inimigos da baderna, os próceres da UDN paulista ofereceram o que tem de melhor. O muy amigo do pres. Zezinho, sr. Geraldinho do Vale, colocou à disposição do Maior dos Brasileiros a polícia paulista, sempre exemplar no trato pacífico de manifestações populares e protestos sem razão.

O resultado da iniciativa foi a constituição de uma força expedicionária pacifista da UDN, destinada a ajudar o Faraó a superar as pragas que têm afligido seu democrático país. Sob o comando firme porém manso e compreensivo do pres. Zezinho, a força deverá, em questão de dias, acabar com a crise usando os delicados métodos de persuasão que consagraram o pres. Zezinho como grande pacifista, durante sua passagem pelo governo paulista.

Corrente do bem

PREPARO: O pres. Zezinho treinou a polícia paulista para tratar os manifestantes com cortesia e respeito aos direitos humanos.

Logo o exemplo do pres. Zezinho estendeu-se para todo o Brasil. Sempre irmandada com a sessão paulista, a UDN de Minas Gerais somou-se à iniciativa. O Faraó das Alterosas manifestou sua mais profunda solidariedade a seu colega do Cairo.

Preocupado com o futuro de seu homólogo filho de Amon, o sr. Tancredo Neves já lhe ofereceu asilo em sua pirâmide administrativa, caso ele tenha que deixar as margens do Nilo.

Do Retiro do Udenista (sito à Caverna do Ostracismo, fundos), veio mais uma onda de solidariedade ao Faraó e de apoio à iniciativa do pres. Zezinho. Importantes lideranças múmio-udenistas devem juntar-se à força expedicionária.

ARQUEOLOGIA: Militares brasileiros salvaram uma serpente mumificada durante o saque do Museu Egípcio. A serpente foi encaminhada à Caverna do Ostracismo.

Outros ofereceram apoio moral, como o ex-pensador FHC, que escreveu um pomposo editorial para um importante jornal falido paulista, no qual demonstra que a culpa pela crise egípcia é do ex-usurpador do planalto: “durante meu governo, o Egito vivia em paz e prosperidade sob o comando do Faraó; Lula não fez nada para assegurar essa continuidade porque deixou-se seduzir pelo subperonismo atrasado e porque é contra a democracia e a liberdade de imprensa”, diz o texto.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: Geraldinho do Vale chamou uns amigos esquisitos para organizar uma festa junina beneficente para ajudar o Faraó.

O Zezinho sempre gostou de brincar de faraó. Quando era moleque, na Mooca, ele uma vez fez o Reinaldinho Cabeção pegar umas caixas de madeira e papelão e montar uma pirâmide. Aí o Zezinho pegou uns panos listrados, enrolou na cabeça e disse que era o faraó. Aí o Reinaldinho Cabeção perguntou: “e eu, Zezinho, posso brincar também? Eu posso ser o escravo do faraó…” Mas o Zezinho disse que não e que o Reinaldinho Cabeção ia ser a múmia. Então o Zezinho pegou um rolo de esparadrapo da caixa de primeiros socorros da mãe dele e enrolou o Reinaldinho Cabeção inteirinho, dos pés à cabeça. O Reinaldinho Cabeção nem conseguia se mexer direito, e começou a chorar, pedindo para soltar ele, mas o Zezinho só gargalhava…


Pres. Zezinho pacifica a UDN

28/01/2011

Cultura da paz: O Dalai Lama riu muito com as piadas do pres. Zezinho.

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, é um amante da paz, da harmonia e da concórdia. Sempre pregando a paz, construiu uma carreira política sólida que o credenciou como a maior liderança política da UDN e da Nação Brasileira.

Amante da paz, o Presidente de Nascença vinha manifestando a assessores mais próximos sua preocupação com as belicosas manifestações de alguns setores da UDN. Esses setores vinham se articulando para uma estratégia de guerra fratricida.

Manso como uma pomba, e firme como um leão, o Gandhi do Alto de Pinheiros resolveu agir e articulou, com apoio de seus companheiros da Caverna do Ostracismo, fundos, um movimento pela unidade da UDN que acabou com a cizânia.

Apesar de ser um pacifista, o Cachorro-Lagosta se diz pronto para a guerra, se precisar.

Apesar de sua liderança inconteste possibilitar-lhe ser escolhido por aclamação para todos os principais cargos de direção da UDN simultaneamente, a modéstia e o espírito pacificador do pres. Zezinho falaram mais alto.

Avesso a cargos e ao poder, o Almirante do Tietê anunciou que não pretende ocupar nenhum cargo, esvaziando a articulação da minoria da UDN que desejava declarar guerra à sua brilhante liderança.

Mostrando desprendimento que só os grandes homens possuem, o Maior dos Brasileiros designou para presidir a UDN o sr. Cachorro-Lagosta, experiente quadro udenocanino caracterizado pela mansidão, lealdade e simpatia.

A insistência da minoria sem representatividade em levar a guerra às últimas consequências despertou no Maior dos Filhos da Mooca uma ira santa. A ávida sanha dos seus opositores pelo poder chegou até o Instituto Menestrel das Alagoas e Alagados, importante think tanque udenista. Dada a inegável superioridade de seu Majestoso Encéfalo, o Presidente de Nascença seria a pessoa mais indicada para dirigir este centro de estudos que é o  pólo irradiador de sabedoria aquática.

O pres. Zezinho gosta de coração de estudante desde criança.

Mas, novamente, o Almirante do Tietê abdicou da honraria e  indicou o sr. Milton Nascimento para a presidência, agradando, assim, a sessão mineira da UDN. O instituto passará a funcionar em sua nova sede, na Av. Marginal Serra, em São Paulo. A medida também resolveu o velho complexo de inferioridade mineiro, pois  Tancredo Neves teria afirmado, ao olhar para fora da janela do edifício: “não é igual a Copacabana, mas já é um quase um mar”.

A operação de pacificação completou-se com a definição da liderança da UDN na Câmara dos Deputados.  Com o auxílio de seus muy amigos Tancredo Neves e Geraldinho do Vale, o Pacificador da  Nação articulou um manifesto subscrito pela quase totalidade da bancada, defendendo a candidatura do sr. D. Nojeirinha Junior, de tradicional famiglia udenoruralista da Califórnia.

Mão grande e benta: os novos dirigentes da UDN foram abençoados pelo pres. Zezinho (direita).

Apenas o sr. Aluísio Biggs de Oliveira opôs-se à iniciativa, defendendo que o próprio pres. Zezinho deveria ocupar a liderança na Câmara, mesmo não sendo deputado, mas o sr. Paulo Caixa Preta 2 (assessor para assuntos propinoviários do pres. Zezinho) deu-lhe 300 mil razões para mudar de idéia.

Com esses movimento hábeis, o Maior dos Brasileiros conseguiu seu objetivo: manteve a UDN uma agremiação pacífica e harmoniosa, com a imensa maioria de seus membros devotando-se a mais profunda admiração e respeito. Demonstrou que não precisa de cargos, pois seus indicados assumiram as principais funções na UDN, mas continuará sendo ele o Iluminado Guia que conduzirá a UDN até onde a maioria dos brasileiros deseja vê-la.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: UDN comemorou com uma bela festa junina em volta da fogueira das vaidades.

O Zezinho sempre gostou de brincar de guerra. Ele e os moleques pegavam uns cabos de vassoura e diziam que eram fuzis, e usavam as panelas das mães como capacete. O Zezinho sempre queria ser da turma dos americanos, e no meio da brincadeira, em vez de fingir que atirava com o cabo de vassoura, saía correndo atrás dos moleques batendo com o cabo de vassoura na cabeça deles e gritando “guerra é guerra,  quem não é meu amigo se ferra!” O Reinaldinho Cabeção ia atrás, tentando fazer o mesmo, mas sempre algum moleque pegava ele e dava uma surra. Ele apanhava por ele e pelo Zezinho…


Escândalo: astrólogo infiltrado impediu vitória do pres. Zezinho

17/01/2011

O astrólogo do pres. Zezinho ignorou o signo n. 13 de propósito.

Foi descoberta uma terrível conspiração que prejudicou a candidatura do Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, e levou-o a uma injusta e imerecida derrota, que foi uma enorme tragédia para o país.

Os conspiradores, teleguiados pelo usurpador do planalto, infiltraram um quinta-coluna da pior espécie no comando da campanha do Presidente de Nascença.

A perversidade da operação é nauseabunda. O ignóbil traidor foi colocado no posto de astrólogo oficial da campanha do Maior dos Brasileiros, responsável pelas previsões e análises astroeleitorais.

Deste lugar privilegiado, o astrocaracídeo sabotou a campanha do pres. Zezinho de todas as formas, propositalmente apresentando previsões furadas e omitindo dados importantes.

O venenoso nostradamus da UDN enganou totalmente o pres. Zezinho que, apesar de sua experiência e de seu doutorado em Astrologia Econômica em Cornell (EUA), por falta de tempo não conferiu o trabalho do falso astrólogo.

O infiltrado desconsiderou justo o ascendente do pres. Zezinho.

A principal estratégia do falso cartógrafo celeste foi a de omitir os mais recentes avanços da ciência astrológica. Ignorou, em suas análises, a existência o novo signo do zodíaco, usando o obsoleto zodíaco de 12 signos. O novo signo, inclusive, é o ascendente do pres. Zezinho.

Ao desconsiderar que o zodíaco tem 13 signos, as previsões apresentadas saíram totalmente erradas e iludiram não somente os coordenadores, mas também a legião de jornalistas de programa, repórteres de aluguel e comentaristas-michê a serviço da campanha.

Envergonhados por terem caído como patinhos, os Mais Vendidos Órgãos de Imprensa do país evitaram comentar o assunto. A fraude só foi revelada porque a RTP – Rádio e Televisão Portuguesa– fez uma matéria sobre o assunto, mostrando as dificuldades que os patrícios têm tido para mudar sua data de nascimento para se adequarem à nova divisão do zodíaco.

Repercussão

A descoberta da fraude revoltou as lideranças da UDN. Liderados por Tancredo Neves, os mais exaltados chegaram à ousadia de criticar o pres. Zezinho por ter aceitado a indicação daquele traidor zodiacal.

Rapidamente, o ex-intelectual FHC abafou as queixas e movimentações contrárias. Em brilhante artigo, publicado na Gazeta de Higienópolis, demonstrou que o pres. Zezinho foi vítima de uma traição cometida por seu assessor astrológico.

UDN usa novo zodíaco para sua refundação

A UDN agora não precisa ter inveja do signo do PT.

Passada a crise, a UDN mobilizou-se para a discussão da sua refundação. Utilizando o novo zodíaco, o ex-cientista FHC definiu a data para a refundação da UDN para algum dia entre 30 de novembro e 17 de dezembro. Este intervalo é considerado o período mais adequado a ser associado à importante agremiação política nacional.

Muitos próceres udenistas tinham muita inveja do PT, por ser do signo de Aquario. Com a refundação na data programada, esse erro histórico será corrigido. A UDN não precisará mais sentir inveja do partido da usurpadora-mirim do planalto, pois terá um signo inteirinho para ela.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: UDN já está ensaiando a dança para a festa da refundação sob o signo certo.

 

O Zezinho sempre gostou de brincar de astrólogo. Quando era criança, uma vez ele inventou um monte de signos diferentes e mandou o Reinaldinho Cabeção escrever o horóscopo de cada um deles. Todo dia, os dois chegavam na escola com uma folha com as previsões dos signos. A molecada começou a ficar curiosa, querendo ver o que seu signo falava, aí o Zezinho começou a cobrar. Para quem pagava, ele mandava o Reinaldinho Cabeção escrever um horóscopo bom. Para quem não pagava, o Reinaldinho Cabeção escrevia que ia acontecer um monte de coisa ruim. Depois de uma semana, um moleque que não quis pagar ficou muito bravo porque eles fizeram um horóscopo colocando ele no signo de Asnus e escreveram que ele ia levar bomba na escola. O moleque esperou o Zezinho na saída e ameaçou quebrar a cara dos dois. O Zezinho só não apanhou naquele dia porque prometeu que não ia mais fazer os horóscopos e que não ia deixar ninguém ser reprovado. E cumpriu a palavra até hoje…


Cachorro-Lagosta será o novo presidente da UDN

07/12/2010

O pres. Zezinho declarou: "O Cachorro-Lagosta é o melhor quadro que a UDN já produziu, depois de mim."

O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro presidente Zezinho, anunciou hoje que não pretende assumir a presidência da UDN.

Para o Presidente de Nascença, faria pouca diferença o cargo de síndico da pujante agremiação política, uma vez que, com cargo ou sem cargo, é o maior de seus líderes em todos os tempos.

Modesto, o Mais Competente dos Homens Públicos afirmou que seu interesse não são cargos ou honrarias, mas sim servir à Pátria.

Em um primeiro momento, a decisão do pres. Zezinho causou consternação na malta udenista. Mas a angústia logo dissipou-se, quando o Maior dos Filhos da Mooca anunciou o nome de seu preferido.

Trata-se do Cachorro-Lagosta que deverá presidir a adorável força política que agrupa a nata da política brasileira.

Cansaço: O atual síndico da UDN não vê a hora de passar o bastão.

Conhecido por sua lealdade, o líder udenocanino apresenta um temperamento calmo, porém firme, combinando a disposição para enfrentar inimigos coma docilidade com os membros do bando.

Nome aprovado

Em consultas informais  realizadas junto aos moradores do Retiro do Udenista o nome do Cachorro-Lagosta teve ampla aceitação.

A boa recepção ao nome do Cachorro-Lagosta no valhacouto localizado na Caverna do Ostracismo, fundos, deveu-se ao fato de que, ao contrário de muitos udenistas de escol, manteve-se fiel e obediente aos comandos do pres. Zezinho (senta!, deita!, rola!, fica!), mesmo nos  momentos mais difíceis.

Equilibrado, o simpático udenocanino costuma manter-se equilibrado em situações de tensão, jamais atacando sem receber a devida ordem (pega!).

Análises químicas mostraram que o Cachorro-Lagosta tem um olfato melhor que o dos concorrentes.

Também pesou a favor do Cachorro-Lagosta a acuracidade de seus sentidos.

Ao contrário de alguns udenistas de vida desregrada, o prestigioso cãozinho tem um excelente faro, pois suas cavidades nasais são bem desenvolvidas e não foram submetidas a desgastes desnecessários.

A decisão sábia do pres. Zezinho joga uma pá de cal nas descabidas pretensões de Tancredo Neves, que pretendia assumir a presidência da UDN e mudar sua sede para o novo Centro Administrativo que construiu no Cemitério de São João del Rey.

A obra sofreu duros ataques de muitos udenistas, porque o sr. Tancredo não utilizou-se dos serviços do grande engenheiro Paulo Caixa Preta 2, assessor para assuntos propinoviários do pres. Zezinho, preferindo uma solução caseira.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: UDN fez uma bela festa junina para homenagear o Cachorro-Lagosta.

O Zezinho sempre gostou de treinar vira-lata. Uma vez, ele ensinou o vira-lata do Reinaldinho Cabeção a sentar e bater palmas. Era assim: sempre que o Zezinho chegava na casa do Reinaldinho Cabeção, o vira-lata do Reinaldinho Cabeção sentava e começava a bater palmas. Aí o Zezinho dizia: “muito bem, pode abanar o rabo, agora.” E o vira-lata do Reinaldinho Cabeção então levantava e ficava abanando o rabo para o Zezinho, todo contente.


Felicidade no Dia de Finados: Pres. Zezinho chega à Caverna do Ostracismo

02/11/2010

Os agradecidos professores foram homenagear o pres. Zezinho.

O cortejo levando o Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres. Zezinho, chegou há pouco à sua nova residência, o popular Retiro do Udenista, tradicional casa de repouso dos valorosos líderes da UDN.

Dirigido pelo ex-sábio FHC, o novo valhacouto do Presidente de Nascença localiza-se na Caverna do Ostracismo, fundos.

Ao longo do trajeto, o Maior dos Brasileiros  foi aclamado pelas ruas de S. Paulo. Foi o Dia de Finados mais feliz da história do Brasil.

O ex-sábio FHC recebeu um entusiasmado pres. Zezinho na Caverna do Ostracismo.

O cortejo deixou sua casa no Alto de Pinheiros e inicialmente dirigiu-se ao bairro da Lapa, onde o Mais Fiel dos Brasileiros discretamente recolheu sua assessora para assuntos inconfessáveis, a ciclonudista Soninha Copélia.

Dali, foram para o upper west side paulistano, o bairro de Higienópolis, onde se localiza a Caverna do Ostracismo.

Cortejo triunfal

Ao longo de todo o trajeto, o pres. Zezinho desfilou em carro aberto, sendo entusiasticamente ovacionado pela multidão que parou S. Paulo.  A marcha alegre se espalhou na avenida e insistiu: milhares de pessoas foram se somando ao cortejo, que mal conseguia abrir caminho entre a multidão.

GRATIDAO: Ao longo do trajeto do cortejo, paulistas lembravam as grandes obras do pres. Zezinho.

A cidade toda se enfeitou para ver o Pres. Zezinho passar, cantando coisas de amor.  Crianças balançavam bandeirinhas com a foto do Maior dos Brasileiros. Senhoras de idade, muito bem vestidas, acenavam com lenços brancos para o Presidente de Nascença. Adolescentes gritavam seu nome. Houve até desmaios de emoção.

Ao ser informada de que o pres. Zezinho agora terá tempo para suas fãs, a beata Maitê Proença largou as gravações de Passione e correu para a Igreja de San Gennaro (Rua da Mooca, 950). Lá,  rezou dois terços em agradecimento. O terço restante foi levado pelo sr. Paulo Afrodescendente para destino ignorado no Caribe.

Ao chegar, o Maior dos Filhos da Mooca foi recebido com festa por vários de seus seguidores que já moram na Caverna do Ostracismo desde 3 de outubro. O poeta romano Virgilius chegou a recitar uma ode composta especialmente para a ocasião, mas interrompeu após não conseguir conter as lágrimas de emoção.

Ninguém entende porque o pres. Zezinho gosta tanto desta ave parasita imprestável.

O pres. Zezinho levou para a Caverna do Ostracismo seus animais de estimação. Amante das aves, além da sra. Soninha Copélia, o Maioral dos Maiorais  levou sua araponga de estimação, Itagiba (PSDB-RJ). O pássaro xereta (Canalhus itagibus) alegrará os dias do pres. Zezinho na Caverna do Ostracismo, apresentando dossiês sobre seus companheiros de morada.

Outro que  ficará no viveiro anexo aos aposentos do Pres. Zezinho é Gabeira, um tucano verde que ele comprou em Ipanema. Mas, ao contrário de Itagiba, é uma ave parasita que não tem nenhuma serventia e só continuará dando despesa ao Maior dos Filhos da Mooca.

As verdadeiras razões

O pres. Zezinho arrumou uns remédios genéricos para o ex-gênio FHC

A ida do pres. Zezinho para o Retiro dos Udenistas, na Caverna do Ostracismo, fundos, ainda não teve suas motivações plenamente esclarecidas.  Alguns analistas disseram que o Almirante do Tietê teria tomado a decisão para atender o apelo de 55.752.529 de brasileiros, mostrando seu profundo compromisso com o povo. Outros disseram que preferiu ficar perto dos muitos amigos que fez durante a campanha eleitoral.

Uma terceira corrente sustenta que o pres. Zezinho optou por morar na Caverna do Ostracismo por altruísmo. O objetivo seria evitar que o ex-pensador FHC, que tem sofrido constantes ataques de inveja do usurpador do planalto, faça alguma bobagem maior do que as que já fez.

Fontes das Ilhas Cayman, no entanto, asseguram que o Maior dos Homens Públicos foi para a Caverna do Ostracismo por medo de que sua casa caísse. Situada  no Alto de Pinheiros, a bela morada foi presente da irmã do genial Daniel Mendes à filhota do pres. Zezinho, e está ameaçada por vazamentos que devem aumentar nos próximos meses.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: UDN preparou uma festa junina black-tie para a ocasião.

A tia Carmela ainda não se recuperou de todo da ressaca de domingo, coitada. Ela se recusa a tomar chá de boldo do Chile e ainda está com dor de cabeça de tanta cidra que tomou para comemorar a ida do pres. Zezinho para a ponte que caiu. Quando eu contei para ela da chegada do pres. Zezinho à Caverna do Ostracismo, ela disse apenas: “Credo! Isso é bem notícia de dia de Finados. Que Deus o tenha”…


O melhor da rodada: Apesar do jogo sujo, Brasil derrota a UDN de novo.

01/11/2010

Enquanto o Brasil festeja, a torcida da UDN está inconsolável.

O mundo é injusto. Apesar de ser O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro presidente Zezinho não conseguiu levar o time da UDN à vitória, em partida decisiva disputada ontem contra o Brasil.

O time capitaneado, treinado e dirigido pelo Presidente de Nascença usou e abusou do jogo sujo, mas isso não foi suficiente para vencer o time do Brasil, que lutou com garra até o último minuto, consumando a vitória por  5 a 4. No primeiro tempo, o jogo terminara 4 a 3.

A equipe udenista teve a colaboração da arbitragem em muitos lances, especialmente de uma auxiliar pamonha que dava muita bandeira de estar disposta a ajudar o time do pres. Zezinho.

O povo todo diz que a comissão técnica da UDN é um desastre.

O time da UDN era o queridinho da imprensa, mas isso não bastou. Durante toda a preparação para o jogo, vários comentaristas de programa tentaram descaradamente minar o moral do time do Brasil e desmotivar sua torcida. Chegaram, inclusive, a  tentar evitar que ela comparecesse ao campo de jogo para apoiar a equipe brasileira.  Mas não deu certo. Vários comentaristas agoram já começam a falar que a UDN quer revanche e vai ganhá-la custe o que custar.

Faltou fair play à UDN

Como sempre, o time da UDN não demonstrou o menor fair play.  A falta de respeito às normas mínimas de civilidade por parte dos comandados do Presidente de Nascença chegou a lembrar as lamentáveis partidas de 1964 e 1989, quando a UDN ganhou à base do jogo sujo e da baixaria.

O capitão da UDN )direita) usou e abusou de jogadas desleais.

O próprio capitão do time, o Maior dos Filhos da Mooca, liderou a falta de fair play. Durante o jogo, usou e abusou de lances truculentos e foi beneficiado por várias jogadas irregulares.

Quando o juiz apitou o fim da partida, o pres. Zezinho correu para o vestiário sem cumprimentar a capitã do time do Brasil, em um gesto de quem não aceita a derrota.

Quando se dispôs a sair do vestiário para fazer sua declaração pública, o pres. Zezinho seguiu a mesma linha. Ao invés de reconhecer os méritos do adversário, passou a reclamar da arbitragem, dizendo-se vítima de um jogo desigual. Conseguiu, inclusive, incomodar seus colegas de comissão técnica, deixando de agradecer os esforços de vários deles.  Por fim, ainda bancou o valentão, dizendo que voltaria e que todo mundo teria que engoli-lo novamente.

Nas arquibancadas, os torcedores da UDN seguiram o exemplo de seu capitão, dirigente e técnico. Passaram o jogo todo xingando a nova capitã do time do Brasil, usando as mais baixas ofensas.

Em desespero, tentavam convencer os torcedores do Brasil a mudar de lado, entregando folhetos caluniosos, telefonando ou até oferecendo presentes. Mas não adiantou. A torcida do Brasil não arredou o pé e até agora não parou de comemorar a retumbante vitória.

Festa do Brasil

Em Brasilia, a festa teve o show de um palhaço, mas seu humor pueril à base de provocações só agradou os eleitores infantis paulistas.

A festa dos brasileiros começou logo após o jogo e se espalhou por todo o país. O povo comemorou a vitória do time do Brasil, gritando o nome da nova capitã do time.

Fogos de artifícios iluminaram os céus de várias cidades brasileiras.Em SP, a festa aconteceu na Av. Paulista, tradicional reduto de comemorações. No Rio, a festa ocorreu em Copacabana. Em vários municípios do nordeste a população organizou bailes do tipo forró perde-serra, atraindo milhares de pessoas.

Discreto, o atual capitão do time brasileiro não participou da festa, mas  foi ovacionado pela multidão. Na temporada que vem sairá das quatro linhas, mas continuará na comissão técnica da equipe.

UDN em frangalhos

A chefe da torcida da UDN, sra. Soninha Copélia, se esforçou, mas não convenceu.

Já na comissão técnica da UDN ninguém se entende. Vários membros da comissão criticaram o capitão, dirigente e técnico do time, dizendo que o fato do presidente Zezinho ser o Maior dos Filhos da Mooca não lhe dava o direito de ter mandar sozinho no time. Alguns dos membros da comissão técnica abandonaram o campo de jogo ainda com a partida em andamento, mais ou menos discretamente.

A desmoralização é tanta que alguns de seus principais jogadores já procuram nova agremiação, outros exigem a saída do capitão, dirigente e treinador do time.

Na verdade, o time da UDN entrou em colapso depois da derrota.  A torcida, que vem diminuindo ano após ano, não ficou satisfeita com o desempenho da equipe.  Parte da torcida recusa-se a continuar apoiando a equipe, revoltada com o jogo sujo praticado pelo time e estimulado pelo capitão e por sua número 2, sra. Soninha Copélia, cheer-leader do time.

Comentário da tia Carmela

QUADRILHA: A torcida da UDN cancelou a festa junina que iria comemorar a vitória do time.

A tia Carmela não está em condições de comentar nada, hoje. Ontem ela exagerou um pouco. Quando saiu o resultado, fez uma festa na casa dela. Tomou três garrafas de cidra com as amigas, depois ficaram na varanda de casa gritando alto que o Zezinho tinha merecido perder, que ele era um sujo, mau-caráter e safado. Não satisfeitas, foram pro meio da rua bater boca as vizinhas que votaram no pres. Zezinho, um deus-nos-acuda. Foi preciso eu e meus primos irmos acabar com a confusão… Agora a tia Carmela está deitada no quarto, com uma dor de cabeça daquelas. Mas muito feliz…